h1

Como desenvolver noção de “timing” na gestão de nossas competências?

Abril 27, 2009

 

j01778402Overleveraging é um fator que causa o que denominamos de “comportamento problemático”. É o processo pelo qual alguem repete um estilo de comportamento constantemente, mesmo quando a situação pedir por algo diferente. Em outras palavras, o comportamento em si não é problemático, mas se torna tal por estar sendo utilizado fora de contexto. Isto ocorre porque a pessoa se tornou um perito no comportamento X, tão eficiente que a tendência é utilizá-lo sempre que possível.

Muito interessante o artigo abaixo da Fernanda Pomin, sócia-diretora da Korn/Ferry International, publicado hoje no Valor Economico. Afinal de contas todos nós fazemos overleveraging com nossas competências. Não existe tempo suficiente para desenvolvermos todas as habilidades possíveis a um ser humano, então nos concentramos nas que são necessárias e vamos em frente. É justamente neste “ir em frente” que nos deparamos com situações novas, onde se torna vital o desenvolvimento de novas competências para a nova situação:

“O que, afinal de contas, diferencia executivos bem-sucedidos dos mal-sucedidos?

O que determina o sucesso profissional não é apenas a união de determinados conhecimentos, habilidades e atitudes, mas sim o que o executivo faz com todo esse conjunto. São as chamadas competências, ou comportamentos observáveis, que fazem a diferença na tal fórmula do sucesso.

O excesso de determinadas competências pode ser igualmente ou ainda mais prejudicial ao desempenho dos profissionais. Por mais paradoxal que possa parecer, foi justamente esta a conclusão do estudo dos pesquisadores Michael Lombardo e Robert Eichinger, referências mundiais sobre temas relacionados à gestão e desenvolvimento de talentos executivos.

Eles não se contentaram em simplesmente identificar as competências relacionadas ao sucesso no mundo corporativo. Estudaram também as razões pelas quais muitos executivos, bem sucedidos até um determinado ponto de suas carreiras, sofrem o chamado “descarrilamento” após chegarem ao topo das organizações.

Concluíram que existe um conjunto de competências associadas ao “descarrilamento”, batizadas por eles como “anticompetências”, ou, ainda, “bloqueadores de carreira”. Interessante também observar que muitas destas anticompetências são exatamente a expressão do excesso de algumas das competências relacionadas ao sucesso.

Qual é o executivo que conseguiu chegar ao topo de uma grande organização sem uma boa dose de autoconfiança? Ninguém duvida de que autoconfiança seja um ingrediente importante para o sucesso.

Contudo, o excesso de autoconfiança pode se transformar em arrogância ou prepotência. O executivo confia tanto na sua própria capacidade que não consegue mais considerar opiniões divergentes das suas próprias no seu processo decisório. Certamente a qualidade de suas decisões está seriamente ameaçada.

E o que falar sobre executivos que desenvolveram tão bem sua competência de influência e persuasão, que passam a confundir o exercício da liderança com a simples manipulação ou abuso de poder?

Assim, a grande questão para os executivos passa a ser entender até que ponto o desenvolvimento de uma determinada competência será saudável para eles. Saber discernir entre o certo e o errado em cada situação, em um mundo com tantas ambigüidades, talvez seja uma das principais chaves para o desenvolvimento de uma carreira bem sucedida.

O executivo que não se conhece ou que não pauta suas ações em um eixo sólido de valores, provavelmente terá maior dificuldade para discernir e tomar decisões, tornando-se, portanto, um ótimo candidato ao efeito implacável do uso de determinadas competências em excesso.”

Todo Coach sabe que o papel fundamental do processo de Coaching é gerar desenvolvimento das competências corretas, ou dos comportamentos corretos, para expandir o leque de de possibilidades de seu cliente. Ele também sabe que o cliente ainda não desenvolveu muitas vezes estas habilidades não por que ele é “in-competente”, mas porque ele é ultra-competente em outras habilidades que, neste momento, não são as mais necessárias.

P.S – Este conceito é um dos panos de fundo que permeia o Coaching Executivo. Todo trabalho de desenvolvimento de carreira se torna inefetivo se o aprimoramento e aperfeiçoamento de competências não fizer parte do processo. Visite http://www.room4d.com.br e acesse mais informações.

Anúncios

Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: