h1

Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

Janeiro 8, 2010

Eu tenho uma confissão a fazer. No meu trabalho eu procuro sempre desenvolver líderes positivos. Mas, apesar disso, eu não sou naturalmente uma pessoa positiva. Dizem as pesquisas que isso não é minha culpa.  Parece que algumas pessoas nascem com uma disposição mais positiva enquanto outros nascem com uma disposição mais negativa. Mas há esperança. A última pesquisa no campo da neurociência e psicologia positiva demonstra que todos nós podemos nos moldar para sermos mais positivos, o que é sensacional para mim, para as pessoas que me cercam e, cheguei a conclusão, que principalmente para minha futura filha.

No último ano tenho pesquisado e praticado inúmeras estratégias para aprimorar o caráter positivo. E tenho dado duro para me converter nesse profissional mais positivo que idealizo, o que acho que é um dos principais motivos pelo qual me transformei num coach executivo e pessoal eficaz. Tenho visto o fruto desses esforços na minha vida e nas pessoas que tenho acompanhado através do coaching. São simples estratégias e rituais diários que podem fazer um tremendo impacto nos seus modelos mentais, sistemas de crenças e formas de olhar a vida.

Neste início de 2011 realizo o sonho de ser pai. E para isso já estou trabalhando minha habilidades educativas. Acredito que crianças positivas se transformam em adultos positivos e que como pais podemos excercer um papel siginificativo, aprimorando o modelo mental e as perspectivas de nossos filhos. Com este objetivo, gostaria de compartilhar com vocês algumas dicas – que já estou estudando em detalhes – para desenvolver crianças positivas.

1. O Êxito do Dia – Todo dia antes de dormir, seja na mesa de jantar ou enquanto dá uma volta logo após a refeição, pergunte ao seu filho o êxito do dia. Esse êxito poderia ser um bate-papo “da hora”, uma conquista na escola, alguma coisa pela qual ele  está orgulhoso, uma situação onde ele ajudou alguém, etc. O importante  é ajudá-lo a focar nas conquistas ao invés dos fracassos. Quando ajudamos nossos filhos a esperar pelo êxito, a procurar pelo êxito e a celebrar o êxito, com certeza vão encontrar mais êxito e ganhar mais confiança. É claro que eles também precisam aprender a partir dos seus erros e fracassos, mas vamos ajudá-los a não enfatizar os mesmos.

2. A Prece na Hora de Dormir – Um ritual como esse proporciona ao seu filho uma base de paz, segurança e confiança que lhe dará a força necessária para enfrentar os desafios diários de ser uma criança.

3. Implemente a Regra do “Não Se Queixe” – É uma regra simples que estabelece que você não está autorizado a reclamar a menos que identifique uma ou duas possíveis soluções para sua queixa. Isso permite que seu filho seja o maquinista do trem da vida ao invés de ser um passageiro reclamando dos vagões. E tem mais: ele acaba aprendendo a utilizar as queixas como um catalisador para mudanças positivas e ações positivas.

4. Ensine a Ele a Fórmula Positiva do Tubarão: E + P = R – A fórmula é oriunda de uma estória sobre um tubarão legal e positivo que ensina a um peixinho dourado a superar seu medo de mudança e encontrar comida. Afinal de contas, peixinhos dourados esperam ser alimentados e tubarões vão atrás de alimento. A fórmula revela que nós não podemos controlar os eventos (E) em nossa vida, mas podemos controlar nossa resposta positiva (P) à esses eventos e nossa resposta determina o resultado (R). Essa fórmula ajuda a criança a desenvolver um forte locus de controle que é uma perspectiva na qual, através de suas crenças e ações, ele tem uma influência sobre sua vida. Ele passa então a acreditar que não é uma vítima das circunstâncias, mas sim um herói de sua própria estória e que pode transformar seus desafios em oportunidades e converter maus eventos em bons resultados. Isso o ajudará a permanecer otimista e a crer que seus melhores dias estão à frente (e não que ficaram para trás).

5. Sinta-se Abençoado ao invés de Estressado – Como pais, necessitamos compreender que as crianças, assim como os adultos, lidam com um bocado de stress… e stress é o inimigo do caráter positivo. Bem, a boa noticia é que quando você está se sentindo abençoado, você não pode estar estressado. A pesquisa diz que nós não podemos estar estressados e agradecidos ao mesmo tempo. Portanto, um simples ritual poderia ajudar seu filho a identificar 3 coisas pelas quais eles são agradecidos a cada dia. Você pode criar um diario da gratidão em conjunto, ou pode encorajá-lo a escrever sobre a felicidade no blog dele, ou ainda simplesmente falar sobre ela durante o jantar. E a qualquer momento em que ele se sentir estressado, você pode incentivá-lo a lembrar de algo pelo qual ele é agradecido.

Eu encorajo você a pensar na mente do seu filho como se fosse um jardim – ao menos é assim que eu pretendo fazer. Todo dia vou querer ajudar a Ágata a capinar seus pensamentos negativos e a plantar pensamentos positivos. Um dia capinando e plantando não vai fazer muita diferença. Entretanto, se eu praticar essa estratégia todo dia, semana a semana, mes a mes, ano a ano, ao longo da sua vida, o jardim crescerá mais saudável e vibrante.

Nutra seu filho. Dedique um momento para apoiá-lo e o alimente com um monte de amor e energia positiva e você vai ver os frutos de seus esforços…

Conte comigo,

Pablo

P.S – Este post foi publicado exatamente há um ano e em poucos dias a Ágata nascerá com todo o seu esplendor. Você tem alguma estratégia ou ritual favorito para desenvolver crianças positivas? Compartilhe suas idéias comigo aqui da mesma forma como a Adriana, a Cassia, a Margarida, o Marcos, o Andre, o Wellington Ribeiro, o Ricardo, a Ivonete, a Suenia, a Eliana, o Moro, o Wellington Gaia e o Claudio compartilharam de forma tão tocante em 2010.

Anúncios

33 comentários

  1. LinkedIn Groups
    Group: MBA FGV (1700+)
    Subject: New comment (1) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Olá Pablo,

    Interessante o texto e o link que vc passou.

    Gostaria de compartilhar também um pouco o que eu já vivo.

    Trabalho com liderança desde 2006.

    Me tornei pai em 2008.

    Vejo que a educação dos filhos é parte reflexo do dia a dia, do modo como vc vê as coisas, o modo como vc vai lidar com estas coisas.

    Coisas podem ser problemas, desafios, alegrias, coisas boas ou não boas.

    Assim como na liderança existem muitos “sim” e alguns “não”, na educação dos filhos podem existir muitas vezes mais “não” que “sim”.

    Como na liderança de pessoas as próprias pessoas já vem com algum conhecimento amadurecido, na educação dos filho(a)s temos um papel muito mais importante ainda, é o de orientar mais e positivamente, assim como vc falou.

    Mas também, mostrar/demonstrar/interagir/estimular os dois lados (o positivo e o negativo), são etapas mais fortemente utilizadas na educação dos filhos, pois eles vieram crus a nós.

    Os filhos são normalmente o reflexo dos pais… seja em atitudes (sempre querem nos copiar, fazer o mesmo, demonstrar, interagir conosco também).

    Por isto, saber “como” mostrar, “como” estimular, são elementos importantes nesta educação.

    Um abraço a vc e sucesso em 2010

    Cláudio.

    Posted by Cláudio Leonardo Urban, Project Manager, ITIL Certified

    Gostar


  2. LinkedIn
    Wellington Cesar Gaia has sent you a message.

    Date: 1/08/2010

    Subject: RE: 2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Pablo,

    Boa tarde,

    Ser pai é realmente antes de mais nada um benção e um desafio. Assim como nas relações profissionais, os filhos também têm seus desafios, sou pai há 18 anos, tenho filhos e mesmo que tenha uma excelente formação profissional, e muito treinamento de gestão, coaching e outras ferramentas, ser pai é muito maior que tudo que possa ter aprendido.
    O exemplo é importante e fundamental, no entanto como lidar com dois filhos com personalidades completamente diferentes, com apenas 18 meses de diferença e com o modelo básico de educação semelhante ???
    Não existem fórmulas, na minha opinião o mais importante é o respeito ás diferenças independente da formação, pois muitas vezes aprendemos mais do que ensinamos. É ouvir no momento certo, bem como falar as coisas certas, e a certeza que mesmo como pais, nós erramos e somos imperfeitos e que portanto não somos infalíveis, mais que mesmo assim queremos sempre o melhor.
    Pensar positivo e criar um clima e uma cultura familiar positiva é fundamental e as dicas com certeza são excelentes.
    Boa sorte sempre, e seja feliz nesta nova fase.

    Wellington C. Gaia

    Gostar


  3. Caro Pablo

    Incrível a sintonia entre minhas idéias e seus últimos posts… esse então, do projeto “Papai 2010” no qual eu e minha esposa estamos também engajados (com a possibilidade facilitante ou complicante de querermos adotar um ou mais…) realmente é assunto dos mais importantes.

    Como otimista patológico, me alinho muito com a idéia de paternidade que você descreve, e também com os fatores comentados pelo Cláudio. Um pré-pai que se preze tem diversas teorias e opiniões sobre maneiras e rituais de educação (os sugeridos achei fantásticos !!!), mas temo que na prática tenhamos que ajustar algumas dessas teorias.

    O que afirmo, sem medo de “queimar a língua” é que independentemente dos ajustes necessários, o que mais influenciará a vida desse novo indivíduo (sim, autônomo, independente, “do mundo”…) são os VALORES compartilhados na convivência com os pais. E a única forma é VIVER OS VALORES, para que isso de fato faça sentido nos contextos de aprendizado aos quais é claro submeteremos nossos (pobres, hehehe) filhos.

    Grandes abraços. Parabéns pelo post.

    Moro

    Gostar


  4. Olá Pablo.
    Achei sua postagem muito boa.

    É também um incentivo sermos mais maleáveis em algumas atitudes e ver mais o lado positivo em tudo.

    Costumo ser muito alto astral, mas às vezes a insegurança aparece e me torno mais cauteloza.

    Tenho apenas 23 anos, ainda não sou mãe e não tenho esse plano para pelo o menos uns 3 anos, mas gostei muito das dicas e guardei comigo.
    Além de ter divulgado para alguns amigos.

    Boa sorte pra você e tenho certeza que a vontade e dedicação, quando são verdadeiras, sempre trazem ações positiva.

    beijos,
    Eliane Zaparoli

    Gostar


  5. Olá Pablo, tive acesso ao seu post através do meu irmão, que tbem é coach. Achei muito interessante, inclusive tenho 3 filhas e a maternidade é algo que me encanta embora a tarefa de educar seja árdua, mas não menos prazerosa quando enxergamos a beleza do desenvolvimento de um ser-humano que está sendo formado e Deus tem usado vc, eu, pra atuar nesse processo.

    Gostei muito de suas dicas a eacredito piamente que a gratidão seja uma excelente ferramenta para nos tornarmos pessoas mais positivas. Uma das coisas que tenho tentado exercitar com minhas filhas também é proporcionar oportunidades nas quais eu possa ouvi-las de fato, compreender o que tem a dizer a respeito daquilo que enfrentam no dia a dia. Acredito que o diálogo seja muito importante para ajudar nossos filhos a serem mais positivos diante da vida.

    Tenho um blog no qual comento algumas experiências que já vivi como mãe. Ficaria honrada se num tempinho vago vc pudesse dar uma olhada e também comentar.

    Sucesso e que Deus continue a iluminá-lo para escrever e a ajudá-lo no desafio da paternidade.

    Abço

    Suenia

    Gostar


  6. LinkedIn Groups
    Group: ASSOCIAÇÃO DE EXECUTIVOS DO BRAZIL / BRASIL
    Subject: New comment (1) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Oi!Pablo (PA pode ser?)

    Então, eu tenho 46 anos e meu marido 48 anos, temos uma filha digamos Maravilhosa, super positiva. E de tudo que tive o previlegio de ler, sei que você também é uma pessoa muito positiva e agraciada por Deus, e certamente terá uma geração abençoada. A semente cai sempre perto da arvore, ou alguma assim. Mas, meu pai tem sete filhos (5 M 2 F), e um dia ele me disse:
    Filha, nem Deus conseguiu fazer o homem a sua imagem, imagine eu um simples mortal. Todos os filhos são boas pessoas, uns com mais conquistas outros com menos, porem cada um feliz com a vida.
    O mais importante é a familia, união, unidade. O pai e mãe presente na vida dos filhos.

    Abraços e felicidades.

    Ivonete

    Posted by IVONETE DIAS DE ALMEIDA RODRIGUES

    Gostar


  7. LinkedIn Groups
    Group: DBM Brasil
    Subject: New comment (1) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    O assunto é muito interessante e foi exposto de uma forma excelente. Focar em crianças remete à necessidade de aprendizado que nós próprios como adultos ainda precisamos dar atenção (há momentos que também precisamos nos ver como crianças reaprendendo as lições). Já que trata sobre os aspectos positivos,não posso deixar de externar: parabéns!

    Posted by Ricardo Costa

    Gostar


  8. LinkedIn Groups
    Group: BRASIL: VAGAS EXECUTIVAS
    Subject: New comment (1) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Prezado Pablo,

    Como sempre seus “posts” são muito bem escritos e claros, parabéns.

    Antes de qualquer outro comentário, quero dizer que ser Pai pode ser realmente maravilhoso e não adianta aqui querer passar alguma experiência disto, contudo.

    Gostaria de contribuir com um pouco de experiência em lidar com pessoas e projetos de assitência à familias (trabalho voluntário em organização privada).

    Tenho acompanhado alguns executivos de sucesso, ombro a ombro (de muito sucesso em alguns casos) que também são pais, e pais que são funcionários de chão de fábrica. O que quero aqui é equalizar a condição de Pai e desconsiderar a posição profissional, afinal cada um tem seus próprios desafios e, tomo a liberdade, de dizer que, não importa realmente sua condição social nesta questão de relacionamento com filhos. Bem, tudo isto para dizer apenas uma frase, que na verdade não é minha, a qual é.

    – “Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar”. (subentende-se aqui família – esposa, filhos)

    Em todos os casos, meu inclusive, a preocupação com o tempo dedicado aos filhos pode chegar tarde demais; o tempo para estar com eles e crescer com os filhos passa muito rápido, volto a dizer uma frase que fiz em um outro “post” seu, vivo por principios que regem minha vida e não apenas minhas atividades profissionais.

    O resto, decisões e avaliações sobre se é possível ter filhos e ao mesmo tempo sucesso. Bem, cada um tem a sua própria equação, após os anos se passerem, sempre haverá um sentimento de que poderia ter feito mais, porém se você tiver feito o suficiente…, então valeu.

    abraço a todos.

    Posted by Wellington Ribeiro

    Gostar


  9. LinkedIn Groups
    Group: Brazil | Open Networkers • Brasil
    Subject: New comment (1) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Excelente tópico!

    Talvez o seu papel como (futuro) pai e o papel de todos os pais são realmente observar que os métodos de ensino tradicionais já não servem mais para nossas crianças.

    Conheço uma criança que com 3 anos já vive as ansiedades e tensões de querer ser o primeiro, querer ser o campeão. Simples brincadeira? Acho que não. Acho que isso já está fazendo parte dela, da sua personalidade, e se refletirá ao longo de sua vida – uma pessoa tensa e com problemas psicossociais.

    Por sorte (e competência), nossos cientistas e pesquisadores estão chegando à conclusões em que podemos envolver ciência e fé, para transformar o mundo interior de cada um de nós.

    Contudo, mais do que cada papel paterno, é fundamental as instituições de ensino também mudarem os métodos tradicionais de ensino. Cito mais uma vez o Dr. Augusto Cury, em seu livro “Os Códigos da Inteligência” (2008), onde ele questiona tais métodos. Uma de suas perguntas, “qual é a criança que gosta de ir na escola?”. Claro, todo mundo enfileirado, parecem escravos ou alienados. As escolas não formam mais pensadores – apesar da Era da Informação deixar tudo tão acessível. Elas formam pessoas repetidoras de informações.

    Por isso, como dizia Albert Einstein, “question everything”. Questione seus métodos, Pablo, e faça as pessoas em sua rede questionar a si mesmas.

    Está ocorrendo uma mudança grande na esfera terrestre, dia-a-dia, e muito se deve às novas influências de pensamentos positivos e transformações na vida das pessoas com a ajuda de métodos psicoterapeuticos.

    Grande abraço!

    -Andre

    Posted by Andre Munhoes

    Gostar


  10. LinkedIn Groups
    Group: ASSOCIAÇÃO DE EXECUTIVOS DO BRAZIL / BRASIL
    Subject: New comment (2) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Pablo a tarefa de ser pai não é fácil, eu tenho dois filhos, um de 6 anos e uma menina de 2 anos, algumas vezes, não sabia qual era o momento de ser pai amigo e qual o momento de ser pai durão.
    Penso que é muito importante proporcionar ás crianças a chance de optarem e de ter suas própriass opiniões, no período em que são pequenos, eles são extremamente capazes e nós não estimulamos a capacidade de raciocínio, porque tentamos proporcionar o maior conforto possível para eles.
    Pensando nisso coloquei meu filho no escotismo, embora com baixa idade, ele realiza tarefas de inclusão social, trabalho em família e tem sido realmente muito bom.
    Espero estar proporcionando a ele a chance de ser uma boa pessoa, de carácter e personalidade. Táo logo minha filha esteja na idade, ela também fará parte do grupo de escoteiros e quem sabe estarei contribuindo para que eles sejam pessoas positivas, de respeito e possam oferecer á sociedade e para eles mesmos um mundo melhor.
    Além disso, eu e minha esposa procuramos estar sempre perto deles, com muito contato físico para que eles se sintam seguros que tem família e pessoas que realmente os amam para os momentos bons ou ruins.

    Posted by Marcos Hideki Ito

    Gostar


  11. LinkedIn Groups
    Group: ASSOCIAÇÃO DE EXECUTIVOS DO BRAZIL / BRASIL
    Subject: New comment (3) on “2010: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?”

    Olá Pablo, parabéns pela sua matéria, e principalmente sua idéia de como transmitir e fazer acontecer na vida de seus filhos a atitude mental positiva.
    Segundo o médico hindu Swami Sivananda, “cada mudança de pensamento é acompanhada pela vibração da matéria mental necessária para o pensamento funcionar como força. Assim, todo pensamento possui peso, forma, tamanho, estrutura, cor, qualidade e poder. O poder do pensamento é maior que o da eletricidade. A todo pensamento corresponde uma imagem mental” Essas considerações mostram a importância de cultivarmos pensamentos positivos pois eles se transformam em imagens mentais, acho eu, que ficam “pairando” em nossa mente e como energia ao nosso redor podendo influenciar todo nosso ambiente. E isso é válido para todos, pais, mãe, filhos, amigos.
    Tentei ser mãe por 6 anos e já com idade avançada, 43 anos, fui presenteada com duas criaturas maravilhosas que hoje estão com 9 anos. No período em que tentei engravidar adotei um ritual diário de pensamentos positivos sobre o que eu desejava. E isso ficava mais forte a cada tentativa frustrada. Deu certo.
    Durante a gravidez pensei que seria ótimo ensiná-los a pensar positivamente e fui à procura de alguns ensinamentos sobre o assunto. Gostei muito do que li no livro “O Caminho da Tranquilidade”, do Dalai Lama, que fala sobre kun long, ou motivação positiva, enfatizando a necessidade das crianças receberem a atenção devida, e isso é imprevisível para cada um, pois quando são amadas em crianças, se tornarão adultos que saberão amar seus semelhantes.
    Gostaria de agregar a todas essas práticas que você apresentou, o ritual diário de conversar sobre o amor, sobre como ele é importante em nossas vidas e o quanto você e sua esposa praticam o amor ao próximo. No início não será possível conversar, a comunicação se dá através do toque, do olhar, coisa fundamental que exprime tudo, e na atitude mental dos pais o que no seu caso não será problema. Você é muito positivo!
    Após 9 anos do nascimento de meus filhos, gêmeos, acho que essas práticas que você apresentou são fundamentais. Eu esbarrei em grandes diferenças que me mostraram a necessidade de praticar diariamente a paciência, compaixão, entendimento, seriedade e justiça, mas principalmente e naturalmente dar muito amor. Percebi a enorme necessidade de me transformar para dar muito amor e bons exemplos. O exemplo do amor cria o hábito da bondade e respeito com o próximo.
    Exercitar ainda mais a paciência foi muito importante para mim, principalmente, pois a necessidade de cada um é diferente e para suprir as necessidades de cada um está sendo necessário que eu pratique muito a tolerância, o entendimento com o objetivo de conhecê-los e poder dar um rumo adequado a cada sentido que apresentam.
    Concordo com a idéia do Dalai Lama de que a bondade é a pedra angular da paz e da harmonia familiar. Muito importante exercitar a bondade em nossos filhos, talvez a primeira virtude a ensinarmos às crianças. Crianças boas, amadas, são seguras, pensam positivamente e aprenderão com o tempo a tolerar, entender e assim, pensarão positivamente, estarão bem com elas e com tudo ao seu redor.
    E concordo com tudo que você apresentou. E prepare-se para as surpresas… Serão ótimas, um forte e ótimo sentido à nossa vida!

    Posted by Margarida Nascimento

    Gostar


  12. Caro Pablo,

    Gostei muito do artigo e também do foco no desenvolvimento dos filhos. Aliás, este assunto me fascina e penso que as futuras gerações dependem muito do relacionamento saudável com seus pais, que alimenta com amor e educa com respeito e assim ensina que amar e respeitar o próximo é fundamental na nossa sociedade.
    Tenho filhos e uma enorme preocupação em fornecer a eles todo tipo de estímulo positivo, faço o possível para fortalecer diariamente nosso relacionamento, alimento a auto-estima deles mas também destaco pontos de melhoria. O resultado é que estamos colhendo juntos as sementes que plantamos desde que eram pequenos.
    Ter filhos, na minha opinião, é um presente divino, é o maior e o melhor, sem comparação.
    O amor é inexplicável, o sentimento sem dimensão… mas tem que ser vivido e alimentado diariamente!!!

    Um abraço e sucesso em 2010.

    Cassia Irias

    Gostar


  13. Olá Pablo,

    Muito interessante o que você postou e realmente me fez acordar mais uma vez pra vida…Tenho me dedicado a projetos de desenvolvimento profissional que estão consumindo todo o meu tempo e por mais que sejam necessários para o mercado competitivo em que estamos, sinto um pouco de culpa por não estar presente como gostaria. E meus filhos? Como deve estar a cabecinha deles? Com quem estão converssando sobre suas conquistas e medos??

    Mesmo estando focada em meus projetos profissionais, não abro mão de dedicar tempo para ouví-los, encorajá-los e também corrigí-los quando necessário, eles são meus principais projetos!!!!

    Sou mãe de uma menina de 8 e de um menino de 5 e realmente a tarefa de criar filhos é muito complexa, cada um com um jeitinho, um gosto, uma personalidade. Vejo que todas as estratégias que usei com minha filha, não funcionan com meu filho, ou seja, tive que criar um modelo específico para cada um, de acordo com a personalidade, temperamento, gostos e visão que cada um possue e a cada dia me surpreendo com as “novidades” que surgem.
    Não existe nada mais gostoso do que vermos nossos filhos crescendo, aprendendo e nos ensinando também.
    Fazendo uma comparação entre liderar nossos filhos e a nossa equipe de trabalho, fica claro a necessidade de aplicarmos a liderança situacional e participativa. (a liderança a que me refiro é a que dirige, ensina, apoia e delega).

    Nossos filhos são exatamente como descreveu, um jardim, e se bem cuidados, serão lindos, fortes e apresentarão um ótimo resultado, mas temos sempre que ter em conta que o que mais querem é a nossa presença e amor.

    Vejo sua atitude como a de um bom jardineiro, que antes de plantar a semente esta preparando a terra.

    Que Deus te abençõe e também a tua descendência.

    Abraços,

    Adriana Arcanjo
    Human Resources Manager

    Gostar


  14. o problema esta na diferencia do que é sucesso e que é fracasso desde a perspectiva do filho.

    porque assim… validar consistentemente a coisa errada apelando à autoridade (pai) facilmente pode criar um desvio no que o filho realmente quer para si (e que na pratica provavelmente seja diferente do que o pai imagina).

    exemplo: mai querendo que o filho seja medico (perfil altamente conservador) e o cara querer ser ator, estrela de rock ou co-fundador de uma startup (perfil de aceitação de retorno altamente imprevisível)

    Gostar


  15. Boa tarde a todos,

    Pablo, parabéns pelo assunto abordado e aos que contribuíram com os valorosos comentários.

    Espero contribuir também. Sou casado a vinte e quatro anos e tenho três filhos: 16, 19 e 22 anos. Baseado na minha experiência, criar os filhos com eficácia e mais complexos do que liderar uma equipe de profissionais. Muitos são os que obtiveram sucesso no âmbito profissional e fracassaram como pai; outros trocariam tudo o que alcançaram pela possibilidade de reparar ou evitar os trágicos fins dos filhos.
    Empreendi muito amor e carinho na criação dos meus filhos, sempre presente. Aliás, continuo. Investi-lhes na aquisição do primeiro computador quando o mais velho tinha apenas cinco anos. Proporcionei-lhes conhecer o mar; disponibilizei TV e revistas por assinatura; não deixei faltar-lhes papel e lápis para desenharem à vontade, orientados a descartar na lixeira exclusiva (são ótimos em desenhar, caligrafia e criatividade aguçada); escola particular, etc. Ainda assim, sinto que poderia ter feito mais. Reconheço que teria melhores resultados se tivesse seguido a orientação de Deus: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele” Provérbios 22:06. Desde pequeninos, é importantíssimo leva-los à igreja pelo menos duas vezes por semana.
    Entristeço-me quando vejo matérias que tratam de bebês que foram vítimas de maus-tratos por parte de babas e quando conhecedores do assunto dão dicas de como agir na detecção de abusos. Falam em observarem o comportamento das crianças, se apresentam algum hematoma e sugerem a instalação de câmeras. Vejo como um alto risco deixar um indefeso bebê a mercê dos cuidados de um “profissional”. Recomendo que não o façam antes de estarem falando (em média 2,5 anos). Quando o indesejável vem à tona, irreparavelmente a criança já sofreu o dano. Instalar câmeras não previne a tortura, só a registra. Também é imprescindível que a criança seja assistida pela mãe em tempo integral pelo menos até o início da fala. Tão importante quanto, é a amamentação; para se ter uma ideia, nossos filhos foram amamentados com leite materno até a idade de um ano; são saldáveis e desenvolvidos. Entendo que nenhum sucesso ou carreira profissional valha mais que a segurança que se pode dar ao tão desejado esperado bebê, principalmente em seus primeiros anos de vida. A criança está sujeita a acidentes domésticos, tomem muito cuidado com panelas ao fogão, dificulte eventual contato da criança com as alças / cabos das mesmas; isole as tomadas baixas; entre outras precauções.
    Pablo, que Deus te ilumine nesta nova fase, proporcionando-lhes sabedoria e condições para uma bem-sucedida e saudável criação de seu vindouro filho.

    Gostar


  16. Prezado Pablo,

    Parabéns pelo artigo!

    Realmente não custa nada pensar positivo ou negativo a não ser o resultado. Portanto, pensar positivo faz toda a diferença para a vida!

    Abraços

    Fábio

    Gostar


  17. Pablo, achei simplesmente incrível esse texto, e sem dúvida será material de apoio para ajudar-me a exercer meu papel de pai cada dia melhor para que minha Ana Clara, de 5 anos, creça confiante e positiva. Se bem que, pelo que você descreveu, mesmo sem esse embasamento sou grato por já estar trilhando o caminho recomendado.

    Meu complemento é a dica de um livro que não sai de minha cabeceira chamado “As 5 linguagens do amor das crianças” (veja o resumo: http://nanoberger.blogspot.com/2009/08/voce-e-capaz-de-falar-linguagem-de-amor.html). Ele á basedo na teoria de que o amor é a base do desenvolvimento de uma criança, e que cada uma delas percebe de forma diferente o amor expressado pelos pais. Simplesmente magnífico.

    Se tiver sua permissão, gostaria de publicar os 5 tópicos de seu post em meu blog, com os devidos créditos. Mas compreenderei sua decisão caso essa não seja sua política.

    Grande abraço!
    Adriano Berger

    Gostar


  18. Be my guest, Adriano.
    Sincerely,
    Pablo

    Gostar


  19. Olá Pablo, muito bom esse assunto.

    Realmente, muito pais estão distantes dos seus filhos, devido ao dia à dia muito corrido.Muitos estão deixando a educação e o estimulo positivo nas mãos de terceiros, ou seja tercerizando momentos em quais só os próprios genitores podem estabelecer os verdadeiros princípios de liderança saudável.

    Seguindo o que foi postado realmente teremos lideres fortes, éticos e idóneos.

    Pablo, um forte abraço.

    Marcos Tresler.

    Gostar


  20. LinkedIn Grupos
    Grupo: Clube de Negócios Brasil Europa / Brazil Europe Business Club
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Como mãe de 3 filhos bem resolvidos, com 28, 26 e 22 anos, morando em Genebra, Austin e a outra vai morar em Milão, cada um correndo atrás de seus sonhos, eu acrescentaria à sua lista, uma coisa que fiz com meus filhos até os 14 anos deles mais ou menos. Eu trabalhava de 7 às 22 horas, todos os dias, meu marido era agricultor, vinha para casa de 15 em 15 dias, então a necessidade de uma presença, era de suma importancia, e mesmo que fosse só para comer, eu voltava todos os dias para almoçar com eles, momento onde estabeleciamos a rotina da tarde e o que fariamos de especial à noite, que normalmente era todos num dos quartos, lendo cada um um pouco de um livro de interesse deles, isso sem duvida deu presença a eles e a mim, muita recordação e muito prazer. E com certeza não me restou nenhum complexo de culpa por deixa-los diariamente sem a minha presença. Coisa cada vez maior na vida de todos hoje em dia.
    Parabens a voce, e pelo que li em seus textos, voce com certeza será um PAI maravilhoso.
    Abraços,
    Candida

    Publicado por Maria Candida Dall’Astra

    Gostar


  21. LinkedIn Grupos
    Grupo: HSM
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Parabéns pelo excepcional texto Pablo! Muitas vezes nos vemos confrontados por uma série de desafios e o que mais desejamos é que sejamos super-heróis para fazermos todas as coisas e que resultado seja sempre o melhor, mas volta e meia me vejo refletindo quais são minhas prioridades e qual é o meu real propósito de existência. Sou apaixonado em liderar pessoas, gosto de participar/contribuir para o crescimento e desenvolvimento delas, porque me traz realização, no entanto em meio a tantos desafios acredito que um dos maiores que tenho é contribuir na formação do caráter e comportamento da minha filha, pois por mais que eu contribuisse na vida das outras pessoas, nada valeria se eu também não contribuir na vida da minha filha. Não é que eu seja um pai ausente e de pouco diálogo, pelo contrário, converso muito com minha filha e tempo não é o problema, mas acredito que posso fazer mais, posso ser mais eficaz e este seu texto me ajudou a refletir como posso ser mais eficiente e eficaz no meu relacionamento com minha filha. Realmente precisamos fazer nossa parte dentro dos nossos lares e formar novos indivíduos com uma extrema habilidade para superar dificuldades e serem mais auto-confiantes. O Brasil por muito tempo foi o país em que tudo de fora é melhor mas já é chegada a hora para uma nova geração cheia de orgulho e positiva, lembrando apenas que um dia (no passado!) fomos uma colônia de exploração, porém nosso presente nos faz muito mais fortes e capazes.

    Publicado por Renato Vasconcelos Jorge

    Gostar


  22. LinkedIn Grupos
    Grupo: Estudos de Liderança e Desenvolvimento Humano – Brasil
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Acho que pesquisas “provam” tudo o que querem, é preciso análise criteriosa. Não existe líder natural, pois se trata de um processo interativo, ou seja, aprende-se. Pare de se preocupar com “o líder”, pense em liderança compartilhada, algo mais humano.

    Publicado por Bernardo Monteiro de Castro

    Gostar


  23. LinkedIn Grupos
    Grupo: Relações Públicas / Public Relations
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Dicas simples para desenvolver crianças positivas. Excelente!

    Publicado por Juliana Maris

    Gostar


  24. LinkedIn Groups
    Group: APG Amana-key
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Olá, Pablo.
    Sem dúvida o “positivismo” é uma das armas mais notáveis que a mente do ser humano pode desenvolver. Mas é um esforço hercúleo, pois necessita de nosso foco nas ações e resultados positivos, num mundo cercado de coisas negativas! Eu, pessoalmente procuro ser o mais positivo possível, mas é duro – as forças do negativo são muito numerosas e nos espreitam em todo canto de nossas vidas… Mas vou usar o seu post dedicado às crianças (nossa esperança de um mundo melhor) e aplicá-lo a mim mesmo. Nossa “criança interior” vai entender melhor esse recado!

    Posted by Paolo Ferretti

    Gostar


  25. LinkedIn Groups
    Group: Executivos Campinas
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Na minha opinião lider positivo é aquele que não tem medo de errar; que acredita no seu potencial, que surpreende com ações para toda a equipe; que comemora o sucesso com todos. Uma pessoa só é boa e suficiente no que faz quando ela realmente acredita que é capaz. Desafiar os riscos faz a gente crescer!!! e tenha a certeza que tudo a sua volta será mais facil entender, e ser positivo com a familia é saber dar a atenção necessária, dar amor, carinho, compreender e ser compreendido e assim será mais fácil seguir em frente…não tenho filhos, mas sempre ouço que nós aprendemos muitos com eles, rsrsrsrs……abraçooo..Tati Betoldo

    Posted by Tatiane Betoldo

    Gostar


  26. LinkedIn Groups
    Group: Brazil | Open Networkers • Brasil
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Como gerentes somos treinados em desenvolver sentido crítico para antecipar se a eventuais problemas (linha Andy Grove: só os paranoicos sobrevivem…). Ou seja, focar no negativo para previnir. Por outro lado, sem duvida nenhuma atitude positiva é sempre melhor (para a saude, vida, trabalho). O esforco é balancear o sentido critico, o estar atento, com uma atitude positiva. O impacto é especialmente gratificante. É uma questao de consciencia do problema e disciplina para “re wire” o cerebro. Em conclusao, sim a culpa é nossa…
    abraco,
    André

    Posted by Andre Picarelli

    Gostar


  27. LinkedIn Groups
    Group: MULHERES DE NEGÓCIOS
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Adorei sua matéria! Sou mãe há 5 anos e diariamente tento incutir programações positivas para o meu filho. Acredito que ser positivo é um estado de espírito, moldado por toda uma bagagem de Vida. Sou uma pessoa positiva, que sempre enxerga o copo “meio cheio” e devo creditar boa parte desta visão alegre e positiva à minha educação principalmente. MInha mãe e meu avô são pessoas positivas, que sempre lutaram pelos seus ideais, ainda que com alguns sacrifícios e alguns tropeços, que permeiam normalmente a vida de qualquer pessoa, mas sempre ajudando o próximo, proferindo palavras de conforto e ânimo aos amigos e familiares. O espírito gregário e altruísta de ambos tiveram forte impacto em mim e nos meus irmãos. Por conta deles e de seus respectivos históricos de vida, sempre levantei-me frente às adversidades e sempre pude ver uma “luz no fim do túnel”, mesmo quando a situação era realmente adversa…. Assim, vejo que vc está correto ao colocar que é possível moldar uma característica, mediante rearranjos de conduta, tranformando aspectos negativos em positivos. De fato, nesta vida, tudo depende de uma PERSPECTIVA. Não devemos fincar pé na perspectiva negativa ao ponto de inviabilizar projetos pessoais ou profissionais que podem gerar frutos. Devemos “aprender” a tentar sempre fixar os olhos nas perspectivas positivas que a vida viabiliza, extraindo principalmente das derrotas, aprendizados que são importantes para aprimorar a sabedoria e conhecimento. Uma coisa é ser negativo outra coisa é ser prudente. Ser prudente é algo razoável e o esperado para evitar sofrimentos desnecessários. Agora, devemos evitar o aspecto negativo, para que a vida possa ser mais fluída, mais simples e mais divertida, sem sofrimentos desnecessários… Vou colocar em prática alguns itens que vc mencionou e que ainda não fazia junto com o meu filho! Atitudes positivas podem e são passadas por gerações pela simples análise de conduta, desta forma, podem ser ensinadas e até mesmo moldadas via condicionamento. Existe um livro: 100 segredos das pessoas felizes, de David Niven, que aborda isso também.

    Posted by Fabianna Tomi Taniguchi Simioni

    Gostar


  28. Pensamento positivo(experanca), amor, carinho e atencao.
    Excelente post.
    Continue assim

    Gostar


  29. LinkedIn Groups
    Group: Sustentabilidade Brasil
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Pablo, eu acredito que nós enquanto pais, somos educadores tambem e que nossa missão é construir carater dos nossos filhos. Acredito tambem que depende de varios fatores para 1. Exemplo que vc está dando para seus filhos quanto a valores morais. 2. Cuidar da auto estima deles valorizando e elogiando quando se esforçam para alcançar metas e superar dificuldades da faixa etária. 3. dizer à eles o quanto são importantes na vida dos pais. e 4. ser temente à Deus, pois é ai que encontrarão forças nas fases dificeis da vida.
    Espero ter contribuido de alguma forma com seu conflito.

    Posted by Dirce Batista Ferreira

    Gostar


  30. LinkedIn Groups
    Group: Sustentabilidade Brasil
    Discussion: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?

    Achei 10!!!

    Posted by Dirce Batista Ferreira

    Gostar


  31. Oi Pablo,
    Concordo com você em gênero, número e grau … mas por outro lado acho que há todo um “glamour” empresarial em ser sempre o positivo e animado da turma e nunca colocar barreiras e senões em nada … Mas a verdade é que eles existem e isso ninguém pode negar!! Como vc. comentou o importante é nossa reação a eles … mas se podemos prevê-los e evitá-los porque sempre temos que ser os “tontos” e os “tolinhos” e não falarmos o que vemos para não sermos rotulados como chatos e negativos ??? … De duas uma … o fazemos o papel da pessoa sempre positiva e deixamos os problemas evitáveis acontecer ou falamos com a maior boa intenção o que pode acontecer (com a intenção de evitar) e somos os chatos … Sinceramente acho que os sempre “positivos” ou são limitados ou são politicamente muito espertos mesmo que isso no final das contas não seja bom para a empresa.

    Gostar


  32. LinkedIn Grupos
    Grupo: >>> P.R.O.J.E.T.I.Z.A.D.O <<<
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível? « Room…

    Pablo, este post me remete a uma frase que "roubei" por aí:
    "Todo mundo está 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos… Quando é que se 'pensará' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?
    Baita desafio!

    Publicado por Paolo Ferretti

    Gostar


  33. LinkedIn Grupos
    Grupo: Exame
    Discussão: Líderes e Organizações Positivas. E Filhos? Também é Possível?
    Vi muita sabedoria em suas palavras e posso dizer o quanto tudo isto é muito complicado. Tenho tres pequenos que assim como voce tambem transfomam a minha vida e meus propositos todos os dias. Somos refens de nossas crenças e acredito que não existe outro caminho a não pelo exemplo.
    Fui fumante por 30 anos (olha que não sou tão velho assim) e a 02 anos consegui vencer o vicio. Ja haviam cinco anos que tinha prometido parar pois o meu primeiro filho nascera(hoje com 7 anos), mas foi quando estava por vir os gemeos ( um casal) que então percebi que não havia outra forma a não ser parar radicalmente, então imbuido desta crença consegui parar e acredito que vou me manter distante do cigarro pois prometi ao mais velho que vou ve-lo com 40 anos casado e com filhos. Para isto ocorrer muitos desafios terão que ser vencidos e mesmo assim estarei sujeito ao destino (ou Deus se preferir assim) não temos controle sobre viver ou morrer, mas podemos e devemos minimizar os riscos envolvidos, principalmente quando voce passa a ser RESPONSAVEL por vidas que ajudou a trazer para este planeta.
    Acho que tudo que voce diz em seu artigo é possivel e fico na torcida mesmo sem lhe conhecer para que sua pequena tenha este conforto que voce esta preparando para ela.Mas como voce mesmo disse damos base para a vida mas a vida complexa e cheia de erros e acerto sera deles assim como hoje é nossa.
    Acho que estou me tornando um fã de seus artigos, mais uma vez parabens.

    Publicado por Marco A Silva

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: