h1

Dizendo Não Pro Seu Chefe

Março 14, 2010

Todos nós ficamos um tanto complacentes de vez em quando. Afinal, temos zonas de conforto. Nos dedicamos às coisas que curtimos, que nos fazem sentir bem, que vêm facilmente. Este é o motivo pelo qual muitas pessoas se cercam com pessoas que concordam com elas, que pensam como elas e que as apoiam incondicionalmente. Mas líderes do 1º escalão de uma grande empresa não podem se dar esse luxo.

Em contrapartida ao substancial pacote de remuneração que é investido neles pelos acionistas, os líderes devem mergulhar no desconfortável, no não-familiar, na opinião diferente. Somente desta forma eles podem manter a empresa sólida e crescendo. Somente assim eles podem justificar aquilo que estão recebendo.

Tudo isso começa no topo

É função do líder providenciar a visão para o time. Um bom executivo deve ter um sonho e a habilidade de fazer com que a empresa apoie esse sonho. Mas não se engane: não é suficiente apenas ter o sonho. O líder deve também providenciar a estrutura com a qual as pessoas na empresa podem ajudar a atingir tal sonho. Isso é o que chamamos de cultura organizacional.

Quando a cultura de sua empresa permite as pessoas desafiarem idéias, sugestões e planos, você criou um organização que pensa, um ambiente onde pessoas comprometidas são capazes de produzir o tipo de inovação e produtividade requisitadas para alcançar o sucesso hoje. Entretanto, se a cultura de sua empresa não permite dissidência, se as pessoas que sugerem alternativas são castigadas por não atuarem com integrantes da equipe, você acaba produzindo um ambiente de medo, estagnação e antipatia. Não permitir um nível de dissidência adequado vai definitivamente aniquilar sua empresa. Pode apostar.

Discuta e debata – até um limite

Você é um gerente brilhante, não? Você encoraja seu time a desafiá-lo e a sugerir alternativas. Mas… você também é um bom subordinado? Você desafia o seu chefe? Ou você  se posiciona confortavelmente e protege seu emprego concordando com tudo o que seu chefe sugere? Este tipo de concordância pode funcionar temporariamente, mas não vai proteger seu emprego a médio ou longo prazo…

Todo gerente tem um chefe. É nossa responsabilidade para com nossos chefes sermos honestos com eles, dizer-lhes o que realmente pensamos, mesmo se discordarmos. Ou melhor, especialmente se discordarmos. Você, e cada um dos seus pares, precisam discutir os problemas abertamente, de forma franca e tendo claramente em vista os melhores interesses para sua área. Você precisa dar ao chefe tanta informação e tantas opções quanto possível. Não tenha medo de lutar arduamente por aquilo que você acredita ser o correto. Seja profissional sobre isso, mas não perca a ternura jamais (como diria Che Guevara).

Entretanto, uma vez que o chefe tomou a decisão, a discussão, a argumentação e a dissidência devem parar. Uma vez que a decisão foi tomada você tem a obrigação de apoiar seu chefe naquela decisão. Você espera isso do seu time, certo? … então você não pode fazer menos que isso na cadeia hierárquica.

Seja duro, discorde firmemente, mas sem perder a ternura jamais

Você considera que sua posição está correta. Você quer o que é melhor para o seu time. Quer as coisas feitas de forma a que melhor funcionem para a sua área. Então você argumenta em prol de seus pontos ferverosamente. Isso é bom mas, por favor, não exagere. Você não vai ganhar todas as batalhas. Afinal de contas, seu chefe está atento ao que é melhor para a empresa como um todo e não apenas parte dela. Saiba reconhecer todos os aspectos envolvidos na negociação. Lembre-se que você estará trabalhando com essas pessoas novamente no futuro. Por essas razões é importante que você não destrua “pontes de relacionamento” no processo de discordar.

Enfrente estas questões

Incentive uma cultura na sua empresa em que opiniões diferentes são encorajadas. Evite a tentação de se cercar com indivíduos que são tão parecidos com você que não podem oferecer perspectivas diferentes. Não se cerque com pessoas que são tão medrosas que simplesmente não têm coragem de discordar. Recompense a criatividade e o pensamento genuíno no seu processo de tomada de decisão. Valorize aqueles que dominaram a arte de discordar “sem perder a ternura”. Talvez só então você possa impedir que mentes em “piloto automático” tomem conta de sua organização.

E, se precisar de apoio para desenvolver esta habilidade, conte comigo.

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

Anúncios

42 comentários

  1. Muito bom artigo. Tenho enfrentado muitas situações desconfortáveis, por provocar meus funcionários no dia-a-dia. Às vezes chego a pensar que estou perdendo as rédeas do negócio, e então, alterno momentos de autoritarismo. Meu receio é que eles não consigam entender o meu comportamento: Ora aberto, ora centralizador. Creio que os resultados tem sido bons, apesar de me sentir perdido, às vezes, enquanto uso do conceito.
    Abs,

    Gostar


  2. Gostei muito do texto…acho que fica claro que discordar pode e deve sempre – sempre de maneira educada e profissional, mas atenção quando for voto vencido – meu lema : voto vencido , voto aderido…se vc for um voto vencido, abrace a decisão de todos da melhor forma possível, afinal de contas não somos infalíveis e quem disse que estamos sempre certos…
    Joelma

    Gostar


  3. Excelente artigo!
    Sou adepto da transparência nas discussões de uma reunião. Concordo em gênero, número e grau com o que o autor diz em relação a ser isto que a empresa espera de nós, e não apenas a pacividade.
    Infelizmente temos dois problemas, ao meu ver:
    – Algumas empresas não vêem esta questão com imparcialidade e muitas vezes, aquele que está realmente engajado com os objetivos da empresaq acaba sendo rotulado de reclamão, “do contra”, brigão.

    – Muitas vezes não conseguimos “manter a ternura” e por isso damos margem aos comentários acima.

    No balanço que faço, se tiver de perder a ternura, que assim seja, mas omitir-se… jamais!

    Gostar


  4. LinkedIn Groups
    Group: Novos Planos – Empregos e Vagas Vip
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Bom dia Pablo,

    A grande questão neste assunto não é somente aprender a dizer não para seu chefe, mas como gestores, e isto se aplica aos nossos chefes também, aprender a ouvir um não, uma opinião contrária ao que temos como correto, avaliar a opinião de nossos subordinados, e não simplesmente ficar no discurso de portas abertas, abertura para ouvir opiniões, se na prática não temos esta intenção.
    Temos que ter a humildade de admitir que temos mais experiência e por conseguinte estamos em posição de gestão, mas que não sabemos tudo e que todo dia há oportunidades de novos aprendizados.
    Gestão participativa ainda é muito discurso e pouca ação.

    Atenciosamente,

    Flávio Andrade

    Posted by Flávio Andrade

    Gostar


  5. LinkedIn Groups
    Group: VOCE S/A
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Pablo, o próprio Professor Deming descreve este tema quando analisa a “falta de constância de propósito”, na minha opinião. A preocupação em manter um relacionamento maduro, não só com clientes e fornecedores, mas também com os funcionários e saber gerir o conhecimento dentre os colaboradores, traz essa confiança em “saber dizer não”.
    Seu texto ( https://room4d.wordpress.com/2010/03/14/dizendo-nao-pro-seu-chefe ) descreve com clareza este tema que hoje é tido como um problema para a administração brasileira, na minha visão por uma cultura onde ainda os gestores se sentem como “chefes” no sentido pejorativo. Quando as empresas encaram este comportamento como saudável para o avanço da produtividade do bem/serviço desenvolvido, o processo fica mais inteligente.
    Saber dizer “não” e saber como dizer “não” está inteiramente ligado com o saber ouvir “não”.

    A administração brasileira caminha para um lado onde esta evolução não poderá ser ignorada e empresas que conseguem manter este relacionamento com seus funcionários tendem a prosperar pois o resultado final que é atender e superar as espectativas do cliente está , como oficina, dentro da própria empresa.

    Posted by Fabio Lins

    Gostar


  6. LinkedIn Groups
    Group: BSP – Business School São Paulo
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Vc esta completamente certo… apenas precisamos ter cuidado com a forma e antes de dizer nao – analisar com carinho o “porque” é preciso tomar cuidado com antigas crenças….

    Posted by Noemi Sakitani

    Gostar


  7. LinkedIn Groups
    Group: MBA FGV (1700+)
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Muito bom o texto, parabéns pela escolha. Quando entrei na empresa que trabalho atualmente meu coach foi bem claro e acertou em cheio quando disse que sou avaliada pelo meu “sim” e também pelo meu “não”.
    []s
    Tais

    Posted by Tais Mattos

    Gostar


  8. LinkedIn Groups
    Group: Universidade Presbiteriana Mackenzie
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Prezado Pablo,

    Para muitas organizações brasileiras ainda impera o pensamento colonial, a cultura da casa grande e sensala.

    Salvo raras exceções a maioria utiliza da imposição dos chefes e cultuam o medo do desemprego para fazer valer as idéias. Por esta lógica de raciocinio muitos dos subordinados prestam lealdade de forma incondicional, sem refletir sobre as verdadeiras razões e objetivos da organização.

    Muitos são alçados a cargos de comandos por influência politica, sem nenhum respeito ao mérito, por esta ótica muitos que seguem suas carreiras acabam por sempre concordarem com os “sonhos” sem levar em consideração o interesse da organização.

    Aliás, quando se fala do “sonho” este por vezes tem muito mais o condão de projetar o sonhador do que a organização, dai a razão das grandes corporações serem demasiadamente lentas em mudanças internas.

    Dizer “Não” numa cultura como esta é muito dificil, no meu caso parti para o empreendedorismo e administro meu negócio com o foco no fim da sensala. Os resultados são proveitosos e realmente tem agregado valor tanto à empresa quanto aos colaboradores.

    Abraço

    Walter Pereira de Carvalho

    Posted by Walter Pereira de Carvalho

    Gostar


  9. LinkedIn Groups
    Group: Novos Planos – Empregos e Vagas Vip
    Subject: New comment (2) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Concordo com Flávio em relação à postura dos gestores, que deveriam efetivamente ter as portas abertas a sugestões. O bom gestor deve preferir um subordinado com “coragem” para lhe dizer não, àquele que sempre concorda com suas opiniões mesmo que possam estar erradas.

    Posted by José Luiz Pimentel Assumpção

    Gostar


  10. LinkedIn Groups
    Group: PROFISSIONAIS DE FINANÇAS – BRASIL +500
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    É sempre bom fomentar a troca de opiniões e fugir da zona de conforto onde todos concordam com tudo. Discussões sobre os melhores caminhos só podem terminar de duas maneiras: ou você muda de opinião e encontra a melhor alternativa, ou você aumenta sua certeza sobre a opção que você fez. Ou seja: “Nada a perder!”

    Posted by Jônatas Vasconcelos de Lima

    Gostar


  11. LinkedIn
    Marcos Frade has sent you a message.

    Date: 3/15/2010

    Subject: RE: Dizendo Não Pro Seu Chefe

    EXCELENTE!

    Gostar


  12. LinkedIn Groups
    Group: GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Como chefe, gostei da parte de pararem de falar a partir do momento em que a decisão foi tomada…

    Posted by Edgard Vilhena

    Gostar


  13. LinkedIn Groups
    Group: Council of Logistics and Supply Chain Management Brazil – Specialists, Professionals and Executives
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Pablo, eu gostei do artigo. Como gerentes nós temos que “lutar” pela melhoria de nossas áreas e, às vezes, temos que confrontar os nossos chefes. Mas como você bem escreveu, “… sem perder a ternura jamais”. Os chefes líderes saberão entender e negociar, mas temos que aceitar sempre a decisão deles.

    Tenho duas experiências interessantes neste tema, pois nunca fui de “puxar o saco” dos chefes. Ao contrário, sempre procuro o melhor para a empresa. Um chefe antigo não entendia os meus questionamentos e fui demitido na primeira redução de quadro. Acredito que ele tinha ressalvas de profissionais qualificados e preferia um ambiente onde ele fosse “o cara”. Foi demitido logo depois. A segunda experiência foi gratificante. O meu chefe encorajava as pessoas a opinarem. O ambiente era motivador e os resultados excelentes. Ele me confessou que eu era uma das pessoas no topo da lista dele para “networking”. Legal, não é?

    Posted by JOSE GONCALVES SOUZA JUNIOR

    Gostar


  14. LinkedIn Groups
    Group: Executivos Brasil
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Pablo
    Muito bom este post. Creio que somente assim teremos condições de trabalharmos em empresas vencedoras.
    Abraço
    Ulisses

    Posted by Ulisses Bognar

    Gostar


  15. LinkedIn Groups
    Group: Marketing Digital Brasil
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Pablo, conheci pessoas em que os melhores momentos de suas vidas foi quando disseram não ao chefe e falaram o que realmente pensavam. Hoje são executivos bem sucedidos. Mas é claro que existe o “chefe tolo” que adora apenas elogios e babacas de plantão falando sim senhor o tempo todo. Acho que para este tipo de profissional (se é que podemos chamar de profissional), seja chefe ou subordinado, os dias estão contados!

    Posted by Ademir Simao

    Gostar


  16. LinkedIn Groups
    Group: Novos Planos – Empregos e Vagas Vip
    Subject: New comment (3) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Acho que se pode dzer não, quando voce tem argumentos para o se ponto de visto. Em TI muitas vezes o argumento é técnico. Disse não a implantação de um sistema de comunicação que não atenderia a empresa e com custo muito elevado. Indiquei uma solução que atenderia a empresa com custo menor. Não fui ouvida, mas um ano após a implantação o sistema foi alterado para o que eu havia proposto.

    Posted by Cristina Coelho

    Gostar


  17. LinkedIn Groups
    Group: Liderança e Inteligência Emocional no Varejo
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Ótimo post!
    As organizações necessitam de pessoas que contestam e testam todas as possibilidades de resolver um problema e/ou se posicionar em determinada situação.
    Neste caso a qualidade vem da diversidade, e diversidade não vem de cima para baixo.
    Acredito que expor sua opinião contribui com o processo, além de mostrar a equipe e aos superiores que você pensa e está preocupado com o sucesso de todos.
    Creio que é saudavel discordar até mesmo quando se concorda. Não para atrapalhar, mas para expor outros pontos de vista e suas consequencias que até então podem não ter sido considerado.
    Isso evita que se crie um ambiente de politicagem e especulação entre pares.

    Posted by Cícero Miotto

    Gostar


  18. LinkedIn Groups
    Group: BSP – Business School São Paulo
    Subject: New comment (2) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Discordar do chefe é uma questão de honestidade para consigo mesmo, porém deve vir seguida de um segundo passo que é uma boa justificativa e/ou sugestão; de forma que fique bem claro o seu profissionalismo e devida seriedade dada ao assunto….

    Posted by Maria Paula Bordin

    Gostar


  19. LinkedIn Groups
    Group: GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
    Subject: New comment (2) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Eu particularmente não gostei justamente deste trecho, já que dependendo do chefe, por mais que se argumente e ele finja aceitar, acaba decidindo o que já havia decidido antes, sozinho – ou seja, a discussão foi uma farsa só para “constar do protocolo”, simular que há abertura de diálogo.

    Nestes casos, se tenho base concreta para isso, deixo bem claro que discordo e que a opinião de alguém hierarquicamente maior – se houver – seria aconselhável.

    Já em posição de líder, o que mais detesto é subordinado que diz “amém” a tudo como se fosse um mantra.

    Posted by Revista INCorporativa

    Gostar


  20. LinkedIn Groups
    Group: BSP – Business School São Paulo
    Subject: New comment (3) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Dizer o NÃO é o mais simples, o ponto central é saber se o seu chefe aceita o NÃO. É claro que qualquer debate deve ser fundamentando com argumentos e alternativas para o problema em questão. Agora, se o seu chefe não aceita ouvir NÃO, esqueça, ele não é um bom lider e você precisa se preparar para uma movimentação rapidamente.

    Posted by Herbert Viana

    Gostar


  21. LinkedIn Groups
    Group: indica (networking, carreira e vagas de emprego)
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Olá, Pablo e colegas de dicussão.

    Dveria ser perfeitamente aceito que um subordinado pudesse dizer “não”, desde que ele pensasse estar bem embasado e que fosse polido. Mas não é o que ocorre sempre, principalmente no caso de chefes como os descritos em “As Chefias Avassaladoras – Assédio Moral – O que fazer para acabar com essa prática devastadora nas empresas”, livro de Jorge Dias Souza.
    Leitura que, aliás, recomendo.

    Posted by Roberto Blatt

    Gostar


  22. LinkedIn Groups
    Group: APG Amana-key
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    Oi Pablo,

    Sobre isto, quando falamos do “chefe” o problema não é dizer NÃO, é explicar o NÃO e negociar o SIM..rsrs

    Brx,

    Marcos Ton – http://www.iesv.com.br

    Posted by Marcos Ton

    Gostar


  23. LinkedIn Groups
    Group: Ética – Profissionais Éticos
    Subject: New comment (1) on “Dizendo Não Pro Seu Chefe”

    ESTA DESPEDIDO……esta é a resposta….

    Posted by ROBERTO CAVALCANTI BARBOSA

    Gostar


  24. Posicionamento!
    Um profissional, seja ele gerente, diretor ou mesmo o presidente, todos tem a obrigação de se posicionar.
    Este é o ônus da responsabilidade, assumi-la de forma plena.
    Consistência e embasamento!
    Se o seu chefe continuar discordando, OK. Esta é a vida, o grande segredo esta em perguntar para você em voz baixa de preferência, “Será que vale a pena continuar insistindo?”
    Abraço e muito bom o texto.

    Gostar


  25. Caro Pablo:

    ainda temos a cultura de não aprender a ouvir um não. Nas empresas não é diferente, quase sempre nos sentimos depreciados quando um projeto de nossa autoria não é aprovado pela organização. O mais importante é levantarmos a cabeça e tentarmos alinhar nossos objetivos aos objetivos organizacionais.

    Gostar


  26. Pablo, Parabens por inserir este tema.

    Ë muito rico e envolve vários elementos do dia-a-dia das empresas: a cultura da organizaçáo (sistema social-comportamentos), a maturidade e estilo das lideranças, coragem, ousadia, medo, liberdade, transparencia, entre outros. Concordo com uma das opiniões colocadas, que, independente do contexto, há que se ter sua posição. Penso ser importante que os individuos, não somente os líderes, tenham a suas posições pensadas, elaboradas, formadas pelos seus conhecimentos, seus valores e experiëncias adquiridas. Isto colabora para a riqueza da diversidade e resultado do conjunto. Um outro aspecto é “como” colocar essa posição. Implica analisar o contexto, a forma, o momento adequado. E vocë disse bem: sem perder a ternura, (Guevara).

    Tenho analisado uma experiência vivida recentemente onde me aconteceu exatamente esta circunstância e isso tem me trazido muitos aprendizados. Seu artigo chegou numa hora muito boa.

    Uma dica aos leitores – Leiam “escutatória” de Rubem Alves. Vale a pena!.

    Saudações,

    Gostar


  27. LinkedIn Groups
    Group: Mercado Financeiro – BM&F Bovespa + 2000 associados
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Ouvir críticas construtivas sobre seu trab alho, ídéias, planejamento é escencial para um líder de alto escalão. Como quanto mais alta a posição mais solitário o líder, espera-se que seu grupo mais próximo contribua com feed backs de sua atuação. O problema reside na elaboração dsta ” ajuda “, a característica de um feed back para cima é diferente do inverso, preciso ser elaborado com mais cuidado.

    Posted by Gestor Consultoria

    Gostar


  28. Parabéns pelo tema
    super interessante
    hugs

    Gostar


  29. LinkedIn Groups
    Group: TI Especialistas – Brasil
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Existe uma cultura “oculta” onde a pessoa se acha mais importante ou mesmo mais inteligente por estar em um cargo mais alto e acredita sempre estar certo. Esse tipo de líder está fadado ao fracasso porque deixa de aproveitar o potencial de seus colaboradores. Dizer “não”, deve ser pensado, deve-se criar uma estratégia para que o “não” chegue ao Líder de forma consciente, não resistente!

    Posted by Jean Israel B. Feijó

    Gostar


  30. LinkedIn Groups
    Group: Executivos Campinas
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Pablo, concordo com o seus comenários. Hoje muitas vezes os profissionais ficam “amarrados” e sem poder abrir uma discussão com os chefes por causa de sua intransigência e falta de sensibilidade com os seus funcionários, muitas vezes não respeitando o profissional que trabalha no seu “time”. Com tempo o profissional torna-se uma pessoa apatica e sem direção por causa desta falta de abertura.
    As Grandes empresas que estão no TOPO não existe mais este modelo ultrapassado.
    Parabéns pelo artigo

    Posted by Ruggero Ruggieri

    Gostar


  31. LinkedIn Groups
    Group: Passarelli – Executive Search
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Concordo com sua opinião.
    As pessoas realmente procuram se cercar de pessoas que concordam com sua opinião dentro de uma empresa, de modo que pareçam estar agindo e trabalhando em consonância e normalmente não há muitos debates neste caso.

    No primeiro escalão, os líderes devem procurar sempre por resultados. Aliás, o segundo e terceiro escalão também deveriam ser assim para o bom andamento da empresa.

    Em algumas empresas, marcam reunião para agendar outra reunião, parece redundante, mas já vi isto acontecer e olha que não foi somente uma vez.
    Abcs,

    Posted by Marcelo Vital da Silva

    Gostar


  32. LinkedIn Groups
    Group: TI Especialistas – Brasil
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    O poder transforma as pessoas.!
    E realmente pessoas deste topo não estão fadadas ai fracasso.
    Já fracassaram!

    Posted by Gilmar Junior

    Gostar


  33. LinkedIn Groups
    Group: Liderança Consciente no Varejo e no Atacado
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Prezado Pablo, eu diria que para “Chefes” é imprudente dizer NÃO. Mas os verdadeiros LÍDERES, estes sim, adoram ouvir contrapontos às suas colocações porque sabem que as mais diversas experiências de seu grupo de trabalho, em muitos casos irão contribuir para seu próprio crescimento profissional. O LÍDER entende o NÃO como um desafio positivivo, mas o CHEFE entende como uma agressão.
    Um abraço!

    Posted by Alex Gasparetto

    Gostar


  34. LinkedIn Grupos
    Grupo: Procurement Brazil
    Discussão: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    À medida em que o amadurecimento profissional chega, é importante saber divergir de seu superior hierárquico com fatos e argumentos. O executivo que almeja vôos mais altos precisa ser respeitado e ter o direito ao contraditório. Ótimo artigo para reflexão!

    Publicado por Antonio Beloto

    Gostar


  35. LinkedIn Groups
    Group: DBM Brasil
    Discussion: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    O Chefe que não aceita ouvir ou dizer não, traz consigo o limite da visão de um só, contudo, nas organizações está cada vez mais difícil manter a energia de ver as coisas de forma diferente. Quem trabalha com Sustentabilidade e consegue perceber as variáveis sociais e ambientais enfrenta dificuldades ao expressar suas opiniões e às vezes pode ser taxado de “ongueiro”. Se a pessoa não tiver boa estrutura de crenças e valores acaba por sucumbir à mesmice dos “sem visão”, mas se consegue ser percebido como construtivo, ajuda à empresa, aos colegas e demais envolvidos a crescer, aprender e avançar.

    Posted by Eliane Anjos

    Gostar


  36. LinkedIn Grupos
    Grupo: Web Design Brasil
    Discussão: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Respeito sua opinião mas discordo, cada ação gera uma reação e acho q independente do projeto ficar ruim ou pessimo não se deve dizer não para chefe, coordenador ou encarregado, prefiro realizar o mesmo já sabendo que não ira resultar no esperado do que ficar perdendo tempo debatendo, falo isso por experiência própria e certa vez mantive minha opinião resultando na minha demissão de uma certa empresa.
    Não sei quanto e como é sua experiência mas baseado na minha experiência vc esta disserminando um conceito que não se deve ser adotado pois há empresas que talves compreenda mas há muitas que apenas querem e pronto pouco importa opinião ou ponto de vista do profissional pois estão pagando!

    Publicado por Hugo Antunes

    Gostar


  37. LinkedIn Grupos
    Grupo: Web Design Brasil
    Discussão: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Realmente oque o Hugo disse é verdade. Muitos patrões e/ou clientes querem oque querem e ponto final. Não estão dispostos a ouvir opniões de profissionais ou de quem quer que seja. Mas essa questão de dizer não, é relativa. Se você tem uma certa liberdade dentro da empresa acho que mostrar sua opnião é importante e mostra que você realmente veste a camisa da empresa. Mas sempre com moderação.

    Publicado por Rafael Oliveira Ferreira

    Gostar


  38. LinkedIn Grupos
    Grupo: Web Design Brasil
    Discussão: Dizendo Não Pro Seu Chefe
    Bom, meu ponto de vista é parecido com o do Pablo. Acho que se uma empresa me contratou como gerente de projetos é porque confia nas minhas habilidades e experiências. Justamente por isso, certamente irá ouvir meu ponto de vista, antes de tomar sua decisão final a respeito da melhor forma de desenvolver o que estiver relacionado ao meu trabalho. É claro que temos que ter habilidade para saber a hora certa de interferir e entender-se derrotado caso o superior hierárquico queira assumir o risco do desenvolvimento ainda que tenhamos avisado. Mas acredito que será muito pior se tudo der errado e não tivermos alertado sobre isso. Como dizia um profissional que passou por mim, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

    Em todos os projetos que desenvolvo compro o barulho da empresa. Por isso mesmo só trabalho em projetos que eu acredite. E muitas vezes já briguei com meus clientes (que no caso estão sendo meus chefes naquele momento), porque estão pensando errado em relação ao planejamento ou as formas pretendidas para alcançar suas metas. Brigo porque quero o melhor pra eles e não porque quero fazer minha vontade. No fim eles sempre entendem isso, tanto que me chamam de novo para outros projetos das empresas.

    No mais acho que o texto foi claro em dizer que nem sempre venceremos a argumentação. Temos que saber perder as vezes. Em resumo “discorde e debata com moderação”.

    Publicado por William Lopes

    Gostar


  39. Realmente este é um grande impasse em muitas organizações. Os subalternos estimulados e interessados em contribuir com o crescimentos profissional e da empresa expressam suas opiniões e contribuição naquilo que pode ser mudado e melhorado. Muitas vezes opiniões simples, mas daqueles que tem compromisso e se importam com a empresa em que trabalham e local que querem galgar novos horizontes. Opiniões que vem do coração e não simples abaixar de cabeça como vaca de presépio. Opiniões que vão de encontro aos interesses imediatos, mas que irão contribuir para um futuro certo, pois é dito por quem entende e vive este assunto. Porém a nova administração crescente unida a um pouco de ego empresarial faz com que os Lideres busquem fora todas as respostas para suas questões internas. Valorizando o que “tem de melhor no mercado” simplesmente por currículos extensos e passagem em grandes empresas ícones, mesmo que sejam passagens despercebidas pelo mercado. Desta forma geram mal estar interno e desestímulo com aqueles que acreditaram e lutaram para construir cada parede e alicerce que hoje abriga turistas comerciais que passam sem compromisso, recebem o bicho do jogo, mas nunca suaram a camisa, ou sequer fizeram um gol para no mínimo manter a instituição na primeira divisão. Infelizmente investir em seus profissionais e mantê-los delegando poderes é uma arte em descrédito e não dá IBOPE. Por esse motivo, muitos profissionais param de dizer o verdadeiro não e ficam adeptos ao falso “sim senhor o Sr está certo”. Pois o novo marketing empresarial se firma em expressões, tal como: “Sabe quem contratamos?”

    Gostar


  40. gostei do comentario de Luiz Menezes!

    Gostar


  41. Um artigo para se refletir com afinco pois, em maioria das vezes sempre sentimos esta vontade de entrar em embate com determinadas situçoes, mais geralmente nos acometemos as acatar a decisão do chefe, devido a uma serie de fatores intra e extra-pessoal.
    Parabens pelo arquivo.

    Luis Magalhães

    Gostar


  42. Muito interessante. Como queremos o bem da empresa é importante apoiar e criar situações de debate para ampliar os horizontes.

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: