h1

Aplicando Coaching No Seu Funcionário: Quando Intervir

Março 22, 2010

No post anterior, discutimos o que é e o que não é coaching interno. Listamos momentos em que um bom gerente iria continuar monitorando o comportamento de um funcionário MAS não iria intervir aplicando coaching nele. No entanto, em outros momentos é preciso intervir e aplicar as técnicas em questão.

Quando Aplicar Coaching Nos Seus Funcionários

Nós precisamos deixar que as pessoas cometam seus próprios erros de forma a que aprendam com eles. Podemos treiná-las e aconselhá-las (o que as ajudarão em algumas ocasiões), mas geralmente a “mão-na-massa” é a melhor professora. Portanto, um bom gerente vai se segurar e resistir ao impulso de intervir a cada momento que o seu funcionário encontrar dificuldades. Dito isto, podemos afirmar que um bom gerente vai sempre monitorar o que os seus funcionários estão fazendo, mas não vai interferir aplicando coaching neles, com exceção das seguintes circunstâncias:

  • Seu comportamento atual reperesenta um ameaça para si ou para alguém
    Quando um funcionário está fazendo alguma coisa que poderia causar danos a si ou a alguém, você tem que intervir. Esta é a única ocasião onde você não pode deixar alguém aprender com os seus próprios erros. Você precisa aplicar coaching. Melhor do que dizer a solução, sugira um par de alternativas e deixe o funcionário concluir qual é a melhor. Assegure-se que ele entendeu porque o comportamento que ele estava planejando desempenhar era inadequado.
  • Existem ramificações éticas e legais nas suas ações
    Você não pode permitir que os seus funcionários façam coisas que são ilegais e também não deve permitir que façam algo antiético. Independentemente do comportamento planejado ser ilegal / antiético em virtude de uma intenção ou de total ignorância, não importa: você não pode permiti-lo. Da mesma forma que nos comportamentos perigosos, providêncie alternativas, deixe-os decidir e explique porque o comportamento planejado era uma escolha sofrível.
  • Eles estão prejudicando seus colegas de equipe
    Você precisa que seus funcinários trabalhem juntos formando um time. Se um dos integrantes está fazendo algo que vai fazer com que os outros o excluam da equipe, você precisa intervir. Se um funcionário sempre assume o crédito pelo trabalho da equipe, você precisa aplicar coaching nele. Se um funcionário numa área compartilhada (composta por “baias”) sempre grita ao telefone, incomodando aqueles ao seu redor, você precisa intervir e ajudá-lo a encontrar um comportamento adequado.
  • Eles estão repetindo comportamentos que não funcionam
    Quando os seus funcionários tentam repetidamente resolver um problema e as soluções deles não resolvem, você precisa intervir. Geralmente tentamos algo e não funciona. Tentamos novamente para ter certeza que fizemos da forma que queriamos fazer e ainda assim não funciona. Se eles continuarem tentando, não estão aprendendo, portanto você precisa aplicar coaching neles.
  • O impacto sobre as finanças da empresa é severo.
    Quase todo erro vai custar algum dinheiro à empresa, seja diretamente ou via oportunidades perdidas. Você não pode intervir a cada momento em que seu funcionário pode cometer um erro apenas para economizar recursos. Considere isso um investimento no aprendizado e desenvovimento do seu funcionário. Entretanto, se a iniciativa planejada por eles pode vir a ter um significativo efeito negativo nas finanças da empresa, você tem que intervir. Você tem como responsabilidade perante a empresa a proteção de seus ativos, o que é tão importante quanto a responsabilidade de desenvolver seu capital humano. Forneça ao funcionário alternativas de comportamento, deixe-o concluir qual é a escolha mais adequada e explique porque você teve que intervir.

Em suma

Saber quando deixar seu funcionário cometer um erro com o qual ele possa aprender e quando você precisa intervir aplicando coaching é um ato de equilíbrio. Você precisa equilibrar a oportunidade dele de aprender e crescer versus o dano que ele pode causar a si mesmo, ao time e à empresa. Quanto mais confiante você está em suas habilidades, mais você será capaz de permitir que seus funcionários façam suas próprias escolhas. Lembre-se: seu papel no coaching interno é ajudá-los a encontrar o comportamento correto e não apenas dizer-lhes o que fazer.

Para estas e outras habilidades, conte comigo.

Pablo

Anúncios

2 comentários

  1. LinkedIn Groups
    Group: ASSOCIAÇÃO DE EXECUTIVOS DO BRAZIL / BRASIL
    Subject: New comment (1) on “Coaching No Funcionário: Quando Intervir (Agora Sim!)”

    Pablo, discuti este tema em outro grupo que você postou o tópico.

    Parabéns pelo tópico.

    Apenas resumindo o tema, afinal de contas concordo plenamente como ficou esclarecido “quando não realizar o coaching”.

    Ainda mais específico, entendo que o coaching deve ser realizado quando necessário, após um “Job Description” e uma “Avaliação de Desempenho” do funcionário, momento este que teremos certeza de que o mesmo está capacitado para receber o coaching e quais são as suas expectativas junta a empresa e a ele mesmo.

    Um grande abraço!!

    Posted by Hugo Justiniano

    Gostar


  2. […] Nós precisamos deixar que as pessoas cometam seus próprios erros de forma a que aprendam com eles. Podemos treiná-las e aconselhá-las – o que as ajudarão … Leia na Íntegra, Fonte: https://room4d.wordpress.com/2010/03/22/coaching-no-funcionario-quando-intervir/ […]

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: