h1

Seis frases para se manter conectado com a realidade

Dezembro 12, 2012

humildadeTodos nós tivemos a oportunidade de ver, por meio de diversos escândalos, um monte de líderes políticos e empresariais tomando algumas decisões incrivelmente estúpidas e destrutivas. O que vem tipicamente à nossa mente são fiascos como o mensalão, a administração das agências reguladoras, o empresário Carlinhos Cachoeira e seu esquema centrado no jogo ilegal, as suspeitas de fraude da construtora Delta, a novela Maluf, a questão da propina na Fifa ou ainda a recente dispensa dos 850 funcionários da extinta Webjet pela Gol.

Mas vou contar uma coisa. Para cada megaconfusão que vai parar na capa dos jornais, outras centenas ficam debaixo do tapete. E, toda vez que enfrentamos um desses pesadelos, seja grande ou pequeno, nos perguntamos: “Por que é que eles fazem isso?” Ironicamente, isso pouco tem a ver com a inteligência desses líderes, ou mesmo com a consciência de que seus atos provavelmente irão fazer mais mal do que bem.

Então, o que está por trás do comportamento que faz com que todos nós fiquemos imaginando o que esses líderes fizeram para ser contratados ou eleitos? Simples: eles colocaram seu próprio interesse acima daqueles a que deveriam servir e, aí, racionalizaram seu comportamento de modo a que não fosse necessário encarar a abominável verdade.

Em outras palavras, os maus líderes são egoístas e inconscientes de que sua autopercepção é uma versão distorcida da realidade. Estou seguro de que qualquer bom psiquiatra pode explicar como as pessoas chegam a esse estágio, mas isso não vem ao caso. A triste verdade é que todos nós nos comportamos dessa maneira de tempos em tempos, e em diferentes graus de profundidade.

O que me leva ao ponto principal desta reflexão: como seria boa uma dose extra de humildade e de autoconhecimento nessas horas! Afinal, com certeza nos lembraríamos de que nem sempre somos os supermegablaster líderes empresariais, executivos, gerentes ou trabalhadores que nossos egos superdimensionados nos dizem que somos.

Pensando nisso, abaixo estão seis frases que você deve aprender a dizer – e colocá-las em prática:

“Eu assumo plena responsabilidade” – Muitos dizem, mas poucos efetivamente praticam isso. E mais: alguns dizem e ainda assim dão um jeito de culpar tudo e todos, menos si mesmos.

“Para ser sincero, não tenho a menor ideia” – Levei anos para aprender a falar isso, e sabe o que aconteceu? Alavancou minha credibilidade e, ao mesmo tempo, reduziu meu estresse. É o mesmo que admitir estar errado: é um tremendo alívio aceitar que não sei tudo.

“O que você espera de mim?”; “O que posso fazer por você?” – Não é apenas uma atitude focada no atendimento ao cliente. Também ajuda a se afastar dos pressupostos errados e permite esclarecer metas e objetivos para se manter nos trilhos.

“Faça a coisa certa” – Quando os líderes utilizam essas quatro simples palavras para guiar suas decisões e encorajar os demais a fazer o mesmo, isso ajuda a criar uma cultura que questiona o status quo e incentiva a tomada de riscos de forma inteligente (não colocando todos num beco sem saída).

“Deixe-me pensar e lhe dou um retorno” – Quando era um jovem gerente, me ensinaram a ser um líder decidido. Isso é bom, desde que você não tome decisões apenas para aparecer ou reagir drasticamente sobre dados insuficientes (isto é, menos que aqueles necessários para tomar uma decisão bem pensada). Em outras palavras, preste mais atenção nos seus instintos e menos no seu ego.

“O que pode dar errado?”; “O que estou deixando de observar?”; “O que pode derrubar nosso plano?”; “O que você acha?” – É uma sensação tão boa ter todo mundo supermotivado com um lançamento ou com uma nova visão corporativa, que você odiaria ter de dar um passo para trás e perguntar o que pode dar errado, certo? Bem, quer saber? Pular essa vital etapa é um sinal de que ainda é um líder imaturo e despreparado para a primeira divisão.

Sei que demanda coragem, paciência e perseverança fazer as coisas da maneira certa. E sei mesmo disso, pois cometi um monte de falhas ao longo da minha própria jornada. Se você prefere aprender via erro e acerto, isso certamente é compreensível. Só peço que preste atenção e mantenha os pés no chão, combinado? Como dizem meus conterrâneos cariocas: fique esperto!

Fotos: Marie HippenmeyerConte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

Anúncios

9 comentários

  1. Prezado Pablo – boa tarde! Todas as seis frases deveriam permear o ambiente de trabalho de todos os ambientes de trabalho.Porém, a dura realidade é de que a vaidade e ambição para ter cada vez mais está deixando as pessoas sem os pés no chão! Estou desempregado há mais de seis meses e estou cada vez mais esperto e firme com os pés no chão e mantendo o que de mais sagrado tenho como característica que aprendi com meus pais:humildade e honestidade.
    Parabéns pelo post! Está sensacional!

    Gostar


  2. vc se esmerou nessa, só posso lhe dar PARABÉNS! Muito bem lançado!

    Gostar


  3. Aliás, gostaria de adicionar que nenhum dos seus textos publicados, mereceriam qualquer reparo, da minha parte. Me orgulho de ter trabalhado com vc,

    Gostar


  4. Pablo, parabéns! excelente reflexão, porém, entendo que talvez coubesse um complemento na quarta frase, que é de fundamental relevancia, como apontado por Thomas J. Neff e James M. Citrin no livro “Lições de Sucesso” publicado no Brasil pela Negocio Editora. Eles nos lembram que os executivos de maior valor corporativo são aqueles regidos pelo principio de “Fazer a Coisa Certa DE MANEIRA CORRETA”, o destaque, é justamente o complemento: De maneira correta. Abs.

    Gostar


  5. Muito bom o seu texto. Ajuda-nos a reprensar muito de nossas atitudes. Parabéns.

    Gostar


  6. “…eles colocaram seu próprio interesse acima daqueles a que deveriam servir e, aí, racionalizaram seu comportamento de modo a que não fosse necessário encarar a abominável verdade.”
    Ponto fucral antes das 6 perguntas ou que elas denotam implicitamente ser necessário:
    Eles não souberam a hora de redimensionar o foco nos próprios interesses,ou seja,o mais difícil desafio de um lider:ARTICULAR(leia-se transitar na dualidade e na ambiguidade,próprias das relações).
    Até articularam,mas com o foco nos próprios interesses superdimensionado e substimando os dos demais.A corrupção pode fincar raízes assim…quando tratamos de desenvolver pensamentos, ok, a filosofia é mãe disto, entretanto, quando estamos na área das relações ,das reais-ações,a história é diferente.
    Subjacente a isso vem a questão de CONTROLE,que ainda bem é a fonte de nossos textos críticos.

    Gostar


  7. Muito bom.Os aspirantes a Líderes não devem deixar de ler.

    Gostar


  8. Caro Amigo Pablo, boa tarde
    Sua matéria é ótima . Eu costumo dizer : quando tudo vai bem , todos participam. Quando tudo dá errado ,ninguém é o pai da criança ( A idéia ) .
    Filho feio , não tem pai . Essa é a mais dura e cruel realidade !

    Gostar


  9. Quando as pessoas que exercem liderança efetiva buscarem cada vez mais “levar felicidade ao outro” através de seus trabalhos e competências, de seus relacionamentos e escolhas, mais e mais todas as coisas hão de convergir para o bem de todos os envolvidos nesse processo. Certamente as 6 frases comentadas pelo colega Pablo vão estar presentes nesse processo.

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: