h1

Quer a liderança? Somente se dominar importantes competências não-técnicas

Dezembro 26, 2012

be-boss-a-eComo gestor, nunca é o suficiente estar apto tecnicamente. É necessário dominar competências não-técnicas também. Elas se refletem nos traços de personalidade, nas atitudes, nos hábitos e nos comportamentos que você apresenta trabalhando com os demais. Enquanto boas competências não-técnicas são igualmente importantes para os funcionários, elas são fundamentais para os gestores (e para aqueles que desejam ser executivos de primeira linha). Aqui seguem as 10 mais importantes competências não-técnicas que precisam fazer parte do seu leque de habilidades.

Competências Não-Técnicas P/ Gestores

  • Confiabilidade Pode-se confiar que você estará onde tem que estar? Que fará o que precisa ser feito? Que cumprirá o que diz que vai fazer? Seu chefe tem que poder confiar em você, caso contrário você não irá longe.  E é igualmente importante que seus pares e subordinados também acreditem que podem confiar. Sem isso, não irão dar o apoio que você necessita para ter o êxito almejado. É preciso dizer mais?
  • Franqueza Diga as coisas como elas realmente são. Não floreie. Não diga o que acha que o chefe gostaria de ouvir. Particularmente respeito aquelas pessoas, tanto acima quanto abaixo de mim, que são diretas. Afinal, com elas, não preciso perder tempo tentando descobrir o que realmente querem dizer.
  • Ética Profissional Você foi contratado para realizar um trabalho. É isso o que faz ou fica sentado vendo os demais trabalharem? Você é o cara que dá mais duro no grupo? Se não é, deixo claro: devia ser.
  • Habilidades de Comunicação O quão bem você se comunica com o seu chefe, seus pares e seus subordinados? Você se comunica tão bem escrevendo quanto verbalmente? Se tem alguma oportunidade nesta área, precisa trabalhar para aprimorá-la ou para eliminá-la.
  • Interatividade Colaborativa Um bocado já se escreveu sobre a necessidade de demonstrar sua habilidade de trabalhar bem com os demais integrantes do seu time. É uma habilidade que está se tornando cada vez mais importante na medida em que nos apoiamos intensamente em times inter-departamentais. Mas também é importante que um gestor construa amplas redes colaborativas. Não faça apenas parte do seu time, mas compreenda como ele se encaixa na organização como um todo e trabalhe para fortalecer essas conexões. Sempre.
  • Habilidades na Gestão de Tempo O único recurso que o gerente nunca vai ter o suficiente é tempo. Para ter êxito nesta função, é de vital importância desenvolver e continuamente aprimorar as suas habilidades na gestão do tempo. Adicionalmente à habilidade de priorizar e delegar, as quais reduzem a quantidade de coisas que tem que fazer, você tem que ser capaz de otimizar o que tem que ser realizado dentro do tempo estipulado.
  • Definição de Metas Bons gestores são capazes de determinar o que necessita ser feito e a definir metas claras para chegar lá. Não fique ao longo do dia apenas  lidando com aquilo que cai na sua mesa. Priorize. Descubra o que necessita ser feito e estabeleça metas específicas para você e para a sua equipe.
  • Agilidade Mental Quando recruto, procuro sempre por candidatos que estão um passo à minha frente na entrevista, pois estas pessoas agirão assim quando contratadas. Elas “pescam” as coisas rapidamente. Entendem o negócio como um todo e a indústria em particular. Têm raciocínio crítico e são solucionadores de problemas.
  • Flexibilidade Encaramos mudanças diariamente: leis e normas mudam, concorrentes lançam novos produtos e serviços, desastres acontecem… Mas bons gestores têm a flexibilidade necessária para lidar com mudanças constantes. Eles já esperam possíveis transformações e planejam levando-as em conta. Como resultado, estão melhor preparados para o imprevisível. Sua flexibilidade permite com que reajam mais rapidamente e minimizem as rupturas que as mudanças podem trazer.
  • Assimilam Bem Direcionamentos Mesmo que valorizados pela sua capacidade de descobrir o precisa ser feito e “correr atrás”, ainda existem momentos em que é necessário dizer ao gestores o que tem que fazer. Seja uma mudança na direção estratégica ou um coaching em relação ao seu desempenho, um bom executivo tem que ser capaz de não apenas a aceitar direcionamentos, mas de cumpri-los com uma atitude positiva e inclusive de aprender com eles.

Em Suma

Fotos: Marie HippenmeyerPode ser que as suas habilidades técnicas colocaram você em evidência e provocaram sua promoção. Mas elas não são o suficiente. Para ter êxito como gestor, você precisa  ser igualmente talentoso nas suas competências não-técnicas. Naquelas áreas em que você tem uma habilidade bem desenvolvida, mantenha-a. Nas outras áreas, dê duro para melhorar. É assim que você vai aumentar consideravelmente suas chances de sucesso. Com mais de 25 anos no universo corporativo, posso garantir isso.

Para estas e outras habilidades, conte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

 

Anúncios

5 comentários

  1. Concordo com o artigo do colega
    Ricardo

    Gostar


  2. Esse artigo é muito bom. Na minha empresa por exemplo, vejo gente sendo promovida a líder sem qualquer criterio, apenas porque tem bastante tempo de casa. E vejo essas pessoas que foram promovidas a líder indevidamente, também promovendo pessoas não por seu desempenho e merecimento, mas por simpatia à pessoa.
    No mundo atual, tecnicamente muitas empresas e profissionais estão equiparados em nível técnico e muitas vezes empatados. O que está contando mais partindo desse princípio, é o diferencial, que na atualidade serão as competências comportamentais desenvolvidas pelos profissionais que já estão em nível técnico equiparado.

    Gostar


  3. Excelente artigo!

    Gostar


  4. excelente artigo, muitos líderes que conheço dão ênfase somente a habilidades técnicas, não que elas não sejam necessárias, mas concordo que tem que se ter um alinhamento entre as compências técnicas com as competências não técnicas, pois projetos são feitos de pessoas, parabéns pelo artigo

    Gostar


  5. Bom artigo:

    Confiança é o ato de deixar de analisar se um fato é ou não verdadeiro, entregando essa análise à fonte de onde provém a informação e simplesmente considerando-a. Se refere a dar crédito, considerar que uma expectativa sobre algo ou alguém será concretizada no futuro. Aceitar a própria decisão de outra pessoa. Confiar em outro é muitas vezes considerado ato de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança. Sem essas provas, o indivíduo tende a basear-se apenas na informação dada (ou a falta dela) acabando por seguir provavelmente uma linha de pensamento longe da verdade.
    Confiança é o resultado do conhecimento sobre alguém. Quanto mais informações sobre quem necessitamos confiar, melhor formamos um conceito positivo da pessoa.
    1- Como lidar com esta questão se lider e liderado possuem um vinculo profissional e pessal a pouco tempo?
    2- Vale o manda quem pode obedece quem tem juizo?
    3- Confiança é para relacionamentos amorosos/afetivos?
    4- Profissionalismo pode substituir o termo ‘confiança’ neste caso?

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: