h1

Assumir o papel de pai / mãe do seu par não é legal. Simples assim.

Janeiro 6, 2013

nagging-wife-screamingNão faz diferença alguma se seu cônjuge não acorda na hora, tem um péssimo gosto para se vestir, se esquece dos compromissos, perde as chaves do carro, ou inclusive nunca recolhe nada do chão. Se você assume o papel de pai ou mãe do seu cônjuge no fundo está demonstrando uma total falta de aceitação e de respeito em relação a quem seu cônjuge é:

  • Se você tem um marido irresponsável ou imaturo, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesma: eu sou a esposa dele, não a mãe dele.
  • Se você tem uma esposa imatura ou irresponsável, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesmo: eu sou o marido dela, não o pai dela.

Colocando-se no papel de pai ou de mãe e o seu cônjuge, no de uma criança, é humilhante para seu par e – cá entre nós – contraproducente. Seu cônjuge acabará se ressentindo por você assumir esse papel controlador e isso vai danificar consideravelmente sua relação matrimonial. Portanto, fique atento com as iniciativas descritas a seguir.

Comportamentos de quem quer bancar o pai ou mãe do seu par

  • Escolhe que roupas acha que seu cônjuge deve vestir.
  • Sua forma de conversar com seu par é do mesmo tipo que se usa com bebês ou ainda abusa de um tom de voz maternal/paternal.
  • Não acha nada demais servir comida no prato de seu cônjuge, cortar a carne para ele(a), ou ainda amolá-lo(a) para que coma todos os vegetais do prato.
  • Acorda seu cônjuge de manhã.
  • Quando viajam, arruma a mala do seu cônjuge.
  • Define o penteado do seu par.
  • É o “lembrador oficial” do casal – seja para tomar os medicamentos, terminar uma tarefa ou estar na hora combinada onde quer que seja.
  • Acredita que uma de suas funções é corrigir o comportamento de seu cônjuge.
  • Frequentemente atende toda e qualquer necessidade dele(a).
  • É superprotetor(a).
  • Marca os médicos para seu par.
  • Compra as roupas para seu cônjuge.
  • Preenche os formulários médicos ou legais para seu par.
  • Recolhe pela casa as coisas do seu cônjuge.
  • Monitora as coisas do seu cônjuge tais como óculos de sol, chaves do carro, carteira, etc.

Como parar de bancar o pai/a mãe do seu cônjuge

A primeira coisa que precisa fazer é se dar conta que demonstrar preocupação e carinho pelo seu cônjuge é normal (e inclusive esperado). O problema surge quando você cruza a fronteira em direção ao papel de pai/mãe pois aí o afeto normal pára e a relação envereda por um caminho duvidoso. Seguem algumas dicas:

  • Tenha uma conversa franca com seu cônjuge.
  • Pare de tratar seu par como uma criança.
  • Não corrija ou critique como seu cônjuge organiza o guarda roupa ou conclui outras tarefas domésticas.
  • Permita que seu cônjuge cometa erros e lide com as consequências de se esquecer ou tomar uma decisão errada.
  • Crie um calendário familiar que inclua tarefas a serem cumpridas, mas esclareça que mantê-lo atualizado é responsabilidade de todos.
  • Evite falar num tom paternal / maternal.
  • Aceite que seu par realmente não gosta de ser tratado como uma criança.

Conte comigo,

Pablo

Anúncios

One comment

  1. Demais seu artigo, Pablo, como sempre! Fazemos certas coisas sem nos dar conta… Tks por abrir nossos olhos!

    Gostar



Expresse sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: