Archive for the ‘Felicidade’ Category

h1

E você acha que tem um problema de gestão de tempo? Pois sim!

Janeiro 19, 2013

CoisasSimplesmente não há suficiente tempo para fazer as coisas que temos que fazer, e isso sem contar aquelas que queremos fazer. Ao menos é isso o que todos nós nos dizemos o tempo todo…

Ouço muito isso tudo, inclusive de mim. Tenho tantas coisas rolando simultaneamente que nem mesmo tenho tempo para ir no banheiro. E olha que eu  costumava ter tempo para relaxar e curtir. Fica então a pergunta: aonde é que foi parar esse tempo todo?

Mas, pense comigo: o tempo não é o problema. Desde que você não esteja correndo por aí numa velocidade relativística feito um fóton de luz ou uma partícula subatômica, ao longo de toda a sua vida o tempo provavelmente tem sido a única constante a cada segundo dela. E isso não foi diferente para os seus pais. Nem para os seus avós.

Pois é. O tempo não é o problema. Mas… E toda aquele monte de coisas que você leu sobre gestão do tempo e produtividade pessoal?! Bem, sugiro que esqueça. É tudo pura perda de tempo. O que quero dizer é que, se o tempo não é o problema, como é que então a gestão do tempo poderia ser a solução?

Quer saber qual é o problema? Pois bem: coisas. Todos nós queremos coisas demais. E aí todos nós compramos coisas demais. E não apenas temos mais e mais. As coisas que acumulamos são mais complexas e você pode fazer com elas muito mais do que jamais se fez. Portanto, não se engane: tempo não é o problema. A questão é que todos nós queremos coisas demais. E queremos fazer um monte de coisas com elas.

Com o recente salto econômico no Brasil na última década, nunca se construíram tantas casas e apartamentos. Temos mais automóveis. Mais celulares, tablets, aplicativos, computadores, jogos eletrônicos, TVs maiores, mp3 players, coletâneas de videos e músicas, scooters, bicicletas, equipamentos esportivos… ufa! E isso sem mencionar o Facebook, o Twitter, o LinkedIn, o YouTube, o email, as mensagens de texto, os blogs e tudo  mais.

Ultimamente, tenho pensado muito em como seria legal sair debaixo de todo esse monte de coisas. E quer saber? Isso me levou  a refletir sobre o quão inchadas as organizações costumavam ser quando comecei a trabalhar em 1987. As empresas tinham vários níveis de comando e uma burocracia sem fim. E naquela época nós apenas continuamos a adicionar mais e mais, achando que isso era o correto.

Hoje em dia  as corporações estão bem enxutas. Mas se você estivesse cerca de 25 anos atrás, saberia do que estou falando. Somos bem mais competitivos agora e, numa economia global, é assim que deve ser (goste ou não goste).

Fotos: Marie HippenmeyerNossas vidas estão hoje tão inchadas quanto nossas empresas estavam nos anos 90. Todos nós achamos que queremos ou que precisamos desse monte de coisas mas, preste atenção, não é bem assim. Tenho praticamente certeza que eramos mais felizes e menos estressados. E tínhamos mais tempo para curtir. E então? O que necessitamos no fundo é enxugar um tanto. Experimente. Conquiste esta liberdade. E como bônus, acabará também economizando dinheiro, concretizando assim a aposentadoria que em algum momento virá.  O que acha disso?

Conte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

Anúncios
h1

2013: Uma Mudança de Carreira Deveria Estar Nos Seus Planos?

Janeiro 10, 2013

direction1Saiu hoje no Valor Econômico “As dores e delícias de trocar de carreira”. Me fez pensar… Na média, podemos esperar mudar de carreira várias vezes ao longo de nossas vidas. Uma das razões para todas essas mudanças profissionais é que as pessoas geralmente não fazem escolhas 100% bem informadas. Enquanto que fazer uma escolha consciente é uma boa maneira de ajudá-lo a se assegurar que  o caminho que escolheu é o correto, por outro lado pode ter certeza que ela sozinha não vai garantir isso. Mesmo que você faça o bê-a-bá vocacional, seguindo todas as etapas prescritas e  escolhendo a carreira certa para você, ela pode não se manter como sua melhor opção eternamente. Seguem aqui, então, alguns motivos que justificam largar a sua carreira atual por uma nova.

Você Deve Considerar uma Mudança de Carreira Se…

  • Sua Vida Mudou: Quando escolheu sua carreira sua vida podia ser diferente do que é hoje em dia. Por exemplo, você podia ser solteiro naquela época e agora tem familia. A agenda maluca ou as frequentes viagens que são típicas de sua carreira podem não se encaixar mais no seu novo estilo de vida. Você deve então procurar por uma ocupação que seja mais “condescendente” com a sua familia.
  • As Perspectivas Profissionais No Seu Campo Pioraram: Os horizontes eram promisores para o seu campo quando entrou nele. Mas, devido a mudanças na tecnologia, na economia ou na indústria em que trabalha, as oportunidades de trabalho já não são mais atrativas. Você deve então procurar por uma ocupação que tenha melhores perspectivas.
  • Você Está Experimentando “Job Burnout”: Houve um tempo em que você adorava ir trabalhar todos os dias. Mas você não mais se sente assim. Não aguenta mais fazer o seu trabalho e mudar de empregador acabou não ajudando em nada. Pode ser então que esteja na hora de encontrar uma carreira que te inspire.
  • Seu Trabalho É Muito Estressante: Algumas funções são inerentemente estressantes. Depois de um tempo, o estress pode acabar sendo uma carga demasiadamente pesada de se carregar. Para preservar sua saúde mental e física, você pode ter que encontrar uma carreira que seja menos estressante.
  • Você Acha O Seu Trabalho Chato: Quando fez sua pesquisa inicial, a ocupação que ao final escolheu tinha um monte de oportunidades de crescimento. Você atuou nesse campo, escalou a hierarquia tão alto quanto podia, e agora sente falta dos desafios que um dia você encarou. Uma mudança de carreira pode lhe oferecer o desafio que tanto anseia.
  • Você Quer Ganhar Mais: Você pode ter se surprendido ao saber que dinheiro não está no topo da lista quando se fala em satisfação no trabalho. Portanto, não se surpreenda se uma carreira que vai lhe proporcionar maiores rendimentos não é exatamente aquela que você vai considerar particularmente gratificante. Esclarecida esta questão, se outros motivos estão levando você a considerar uma mudança de carreira, certamente rendimentos mais altos deve ser algo a ser levado em conta ao escolher uma nova carreira.

Fotos: Marie HippenmeyerCompartilhe sua experiência com os demais respondendo agora nos Comentários abaixo: Como Soube Que Era Hora de Mudar de Carreira?

Conte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Assumir o papel de pai / mãe do seu par não é legal. Simples assim.

Janeiro 6, 2013

nagging-wife-screamingNão faz diferença alguma se seu cônjuge não acorda na hora, tem um péssimo gosto para se vestir, se esquece dos compromissos, perde as chaves do carro, ou inclusive nunca recolhe nada do chão. Se você assume o papel de pai ou mãe do seu cônjuge no fundo está demonstrando uma total falta de aceitação e de respeito em relação a quem seu cônjuge é:

  • Se você tem um marido irresponsável ou imaturo, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesma: eu sou a esposa dele, não a mãe dele.
  • Se você tem uma esposa imatura ou irresponsável, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesmo: eu sou o marido dela, não o pai dela.

Colocando-se no papel de pai ou de mãe e o seu cônjuge, no de uma criança, é humilhante para seu par e – cá entre nós – contraproducente. Seu cônjuge acabará se ressentindo por você assumir esse papel controlador e isso vai danificar consideravelmente sua relação matrimonial. Portanto, fique atento com as iniciativas descritas a seguir.

Comportamentos de quem quer bancar o pai ou mãe do seu par

  • Escolhe que roupas acha que seu cônjuge deve vestir.
  • Sua forma de conversar com seu par é do mesmo tipo que se usa com bebês ou ainda abusa de um tom de voz maternal/paternal.
  • Não acha nada demais servir comida no prato de seu cônjuge, cortar a carne para ele(a), ou ainda amolá-lo(a) para que coma todos os vegetais do prato.
  • Acorda seu cônjuge de manhã.
  • Quando viajam, arruma a mala do seu cônjuge.
  • Define o penteado do seu par.
  • É o “lembrador oficial” do casal – seja para tomar os medicamentos, terminar uma tarefa ou estar na hora combinada onde quer que seja.
  • Acredita que uma de suas funções é corrigir o comportamento de seu cônjuge.
  • Frequentemente atende toda e qualquer necessidade dele(a).
  • É superprotetor(a).
  • Marca os médicos para seu par.
  • Compra as roupas para seu cônjuge.
  • Preenche os formulários médicos ou legais para seu par.
  • Recolhe pela casa as coisas do seu cônjuge.
  • Monitora as coisas do seu cônjuge tais como óculos de sol, chaves do carro, carteira, etc.

Como parar de bancar o pai/a mãe do seu cônjuge

A primeira coisa que precisa fazer é se dar conta que demonstrar preocupação e carinho pelo seu cônjuge é normal (e inclusive esperado). O problema surge quando você cruza a fronteira em direção ao papel de pai/mãe pois aí o afeto normal pára e a relação envereda por um caminho duvidoso. Seguem algumas dicas:

  • Tenha uma conversa franca com seu cônjuge.
  • Pare de tratar seu par como uma criança.
  • Não corrija ou critique como seu cônjuge organiza o guarda roupa ou conclui outras tarefas domésticas.
  • Permita que seu cônjuge cometa erros e lide com as consequências de se esquecer ou tomar uma decisão errada.
  • Crie um calendário familiar que inclua tarefas a serem cumpridas, mas esclareça que mantê-lo atualizado é responsabilidade de todos.
  • Evite falar num tom paternal / maternal.
  • Aceite que seu par realmente não gosta de ser tratado como uma criança.

Conte comigo,

Pablo

h1

As 10 Melhores Resoluções para um 2013 + Positivo (II)

Janeiro 4, 2013

resolucoes-para-2013Minhas primeiras cinco recomendações para resoluções de Ano Novo vão deixar sua vida em 2013 bem melhor. Este segundo pelotão de 5 recomendações vão selar o seu êxito. Acredite.

Ter coragem profissional para sair da zona de conforto. Você bem sabe quando se encontra na sua zona de conforto, certo? Um problema aparece e aí você escuta as desculpas que sua mente elabora sobre porque você não precisa falar, ou sobre porque se posicionar sobre uma questão vai acabar colocando-o em apuros. Ao menos uma vez, quando se encontrar nesta situação, coloque para fora o que está realmente pensando. Tão logo o choque inicial se dissipar, seus colegas vão admirá-lo. Se você soubesse o quão importante é que os integrantes de uma organização dêem feedback honesto e participem de corpo e alma nos conflitos necessários para aprimorar produtos ou serviços oferecidos aos clientes, não pensaria duas vezes em tomar tal atitude.

Quando começar a quebrar as barreiras que você mesmo se impôs, vai perceber que se expressar é cada vez mais e mais fácil. Por quê? Porque vai descobrir que pode sobreviver à experiência. Na verdade, sua carreira vai decolar como resultado da sua opção em deixar de lado sua confortável “caverna”. A maior parte das pessoas que decidem ter coragem profissional esperam o pior, mas acabam se vendo recompensadas pela nova postura. E, se por ventura você se vir “apanhando”, talvez seja hora de procurar um emprego diferente…  Afinal de contas, você não preferiria trabalhar onde pode expressar o que pensa com segurança?

Ouvir mais do que falar. O velho ditado sobre uma boca e duas orelhas é uma realidade. Como gerente, gasta muito do seu tempo em atividades e esforços que visam resolver problemas. Planeje neste ano ouvir tudo que seus colegas estão dizendo. Talvez seja isso o eles queiram: serem ouvidos, não conselhos ou “A” solução dos seus problemas. Talvez descubra nesse processo que não precisa assumir os “pepinos” para si. Sua capacidade de escutar pode encorajá-los a resolver seus próprios problemas. Quando eles se sentem plenamente ouvidos e com 100% de sua atenção, estarão mais predispostos a sair da inércia e agir. Nas palavras de Stephen Covey: procure primeiro compreender, depois ser compreendido.

Desenvolver um método para monitorar suas metas de vida, seus compromissos diários e sua lista de tarefas. Montar um planejamento, seja através do Microsoft Office Outlook no seu notebook ou no seu smartphone, vai permitir esvaziar muito dos detalhes diários que ocupam sua mente. Com isso mais espaço mental vai sobrar para destinar à pensamentos mais importantes.

Seja via papel & caneta ou via aparelhos eletrônicos, acompanhar suas atividades diárias vs. suas metas mais importantes é fundamental. Você quer se assegurar que vai realizar suas prioridades, certo? Então comece a estruturar sua metodologia, seja qual for.

Ler vorazmente para seguir aprendendo e crescendo. Eu planejo ler um par de livros por mes, além de revistas, jornais on-line e o The New York Times. Nem sempre consigo atingir esta meta, mas ela está sempre presente. Tente ler amplamente. Fuja dos livros sobre negócios de vez em quando para abordar outros temas que podem aprimorar seu ponto-de-vista.

Adotar um novo hobby ou uma nova atividade este ano. Talvez este seja o ano de começar sua nova coleção. Eu comecei a escrever no facebook, por exemplo. Se algo sempre o intrigou e provocou sua curiosidade, resolva dar os primeiros passos em participar do quer que seja este ano. Você acabará adicionando um nova dimensão ao seu mundo.

Se levar um pouco menos à sério. Na medida em que batalhamos por sucesso, podemos acabar ficando presos a sérias deliberações, aconselhamentos e soluções de problemas. Dedique um tempo para rir. Tire um tempo para sentir o cheiro de bolos e pães assando. Sorria quando ouvir estórias sobre tudo aquilo que os alucinados dos seus funcionários estão fazendo: você não precisa ser a “mãe” ou o “pai” o tempo todo. Curta o seu time por todas as pequenas esquisitices e diferenças…

Fotos: Marie Hippenmeyer(Tudo bem, eu menti. Para aqueles que estão contando, na realidade há 11 resoluções aqui, mas é que não quis abrir mão de nenhuma das anteriores… )

Desejo-lhe um feliz, saudável, próspero e fora-de-série 2013 e não deixe de adotar estas resoluções de Ano Novo (além de outras que você criar).

Conte comigo e sucesso neste 2013!

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

As 10 Melhores Resoluções para um Ano Novo + Positivo

Janeiro 3, 2013

2013As resoluções de Ano Novo predominam nas listas de prioridades a cada início do ano. O novo ano é um recomeço, portanto novas metas, novos planos, novos sonhos e novas direções alimentam nosso imaginário.

Por isso recomendo: não deixe de colocar por escrito suas resoluções para o Ano Novo. Você terá a oportunidade de reabastecer, revitalizar e renovar o seu espírito, aproveitando todas as possibilidades que se descortinam em 2013.

E se me permitir dar uma dica adicional, anote: se puder, dedique-se mais a si mesmo este ano. Isso não tem preço…

Mas vamos ao ponto principal deste post. Abaixo seguem 10 resoluções para aquelas pessoas que trabalham no mundo corporativo. Espero que elas o ajudem a fazer deste ano um ano fora-se-série!

Prometa que vai:

Fazer todo santo dia algo que realmente gosta muito (e que você faz como ninguém). No livro Primeiro Quebre Todas as Regras!, Marcus Buckingham e Curt Coffman da Gallup Organization descobriram essa questão crítica entrevistando 80.000 gerentes. Nestas entrevistas, eles resumiram o questionário focando-se  naquelas 12 questões que definem mais claramente ambientes de trabalho felizes, engajadores e produtivos.  Preste atenção nas 3 primeiras:

  1. Sei o que é esperado de mim no trabalho?
  2. Tenho o material e o equipamento que necessito para fazer o meu trabalho direito?
  3. No trabalho, tenho a oportunidade de fazer o que faço de melhor todo dia?

As pessoas que podiam responder afirmativamente estas perguntas estavam mais propensas a serem felizes e produtivas. Dito isto, só me resta dizer “Apaixone-se pelo seu trabalho! Faça todo dia algo que você faz como ninguém mais!”

Fazer todo santo dia algo só para você . Como gerente ou como profissional, você pode acabar fazendo coisas para os demais praticamente o tempo todo no seu horario de trabalho. Se ainda por cima tem uma familia que ocupa seu horário fora do trabalho, este risco é dobrado. Portanto, resolva dedicar todos os dias um tempo para si, seja ele para se exercitar, relaxar, refletir, fazer um jantar especial, tomar sorvete, escrever um artigo, jardinar, dar uma volta com o seu cachorro ou qualquer outra atividade que lhe dê prazer. Apenas se assegure que a atividade é diferente daquilo que já faz ao longo do dia. No final, pode ter certeza: você vai sentir a vida pulsando em suas veias!

Se dar crédito e tapinhas nas costas quando fizer por merecer. No estudo da Gallup (mencionado anteriormente), esta questão definiu os locais de trabalho mais produtivos. Pessoas que tinham recebido aprovação ou reconhecimento pelo seu trabalho nos últimos 7 dias eram mais felizes e produtivas que as demais.

Nesta era de funcionários mais independentes e controles gerenciais mais flexíveis, as possibilidade de uma interação frequente com o seu chefe é menor. Portanto, é importante um auto-reconhecimento pelos belos esforços realizados. Uma forma de fazer isso é manter um arquivo de notas positivas, cartas de agradecimento e mensagens sobre projetos exitosos. Eu costumava chamar o meu de “Coisas Legais”. Em suma: pare para curtir o seu sucesso a cada projeto ou iniciativa que você finalizar.

Batalhar para aprender algo novo todo santo dia. É fácil ficar preso nas mesmas coisas de sempre. Leia um artigo. Discuta uma nova abordagem com um colega. Pesquise na internet o que outras organizações estão fazendo… As oportunidades para aprender estão se muntiplicando todos os dias na era da informação. Agarre aquelas que mais chamarem a sua atenção.

Fazer contatos profissionais e, é claro,  networking. Procure colegas com os quais você perdeu contato. Se assegure de marcar pelo menos um encontro profissional todos os meses. Você vai se beneficiar das amizades e dos relacionamentos que desenvolver a partir de uma participação ativa. Não é o suficiente apenas se conectar. Você precisa participar para colher as recompensas de uma verdadeira rede colaborativa profissional.

Fotos: Marie HippenmeyerPara um 2013 mais positivo e para estar apto a transformar resoluções em realidade, conte comigo.

Pablo

P.S. 1 –  Quer ver as 5 seguintes?

P.S. 2 – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Para casados: Desligue o seu celular

Dezembro 15, 2012

casais-e-celularUma forma de mostrar ao seu cônjuge que você se importa é desligar o celular de vez em quando. Tome a decisão de se desconectar dos demais para abrir a possibilidade de se conectar com o seu cônjuge com mais frequência. Fazendo isso, provavelmente você vai descobrir que vai também reduzir o stress na sua vida, bem como lhe dar a oportunidade de oferecer àqueles que ama sua plena atenção.

“… minha política de ‘Domingos sem celular’ (auto-imposta): sem mensagens, sem emails , sem checar mapas. Meu celular é desligado, ou nem mesmo o carrego comigo… talvez você possa estabelecer este Natal como um feriado sem celular e dar plena atenção à pessoa que está ao seu lado na mesa, seja o seu primo caipira ou sua cunhada esnobe.” Fonte: Turning Your Phone Off as a Technological Gesture of Affection.

Outra forma de equilibrar o tempo que dedica aos demais e o tempo que dedica ao seu par é saber quando as redes sociais estão prejudicando seu casamento. Não há mal algum em “estar fora” quando isso significa “estar dentro” do seu casamento.

Conte comigo,

Pablo

h1

Para casados: Como dedicar tempo ao seu relacionamento

Dezembro 15, 2012
tempojuntosNão permitam que seus trabalhos, ou as crianças, ou a internet, ou os amigos, ou ainda os familiares (de um lado ou do outro), interfiram no seu casamento. Hoje em dia, vários casais chegam à conclusão que o fato de estarem casados não é garantia de que terão automaticamente tempo entre si. Se ambos vivem ocupados, precisam planejar como investir tempo juntos. Não há mágica, por isso compartilho algumas idéias:
  1. Agendem um fim de semana apenas para você dois. Registrem nos seus calendários, ou no outlook, ou onde for necessário, mas não alterem o evento por motivo algum. Inclusive não necessitam ir para um lugar em especial, podem ficar em casa se quiserem.
  2. Almocem juntos uma vez por semana. Se o dia estiver especialmente bonito, encontrem-se num parque.
  3. Deixem seus filhos saberem que vocês dois precisam ficar sozinhos. Digam-lhes que podem bater na porta  do quarto de vocês somente se a questão envolver sangue.
  4. Caminhem juntos pela vizinhança.
  5. Façam juntos as tarefas domésticas, tais como lavar os pratos ou ir ao açougue. Pode não parecer tempo qualitativo, mas com certeza pode se tornar.
  6. Quando no carro, executando tarefas externas, desliguem o rádio ou o cd player e conversem entre si.
  7. Tomem banho juntos.
  8. Dediquem 20 minutos ao dia  ao ato de dialogar.
  9. Se organizem para obter uma noite tranquila sozinhos ao menos uma vez ao mes.
  10. Contratem uma babá para cuidar das crianças durante um par de horas, não importa de você ficarem em casa.
  11. Negociem com outro casal para que cuidem dos seus filhos à noite de modo a que vocês possam curtir uma noite romântica sozinhos… e aí, em contrapartida, num outro dia cuidem dos deles.
  12. Marquem encontros entre vocês. Agendar uma saída juntos à noite ou à tarde duas vezes ao mes é um bom começo.
  13. Quando viajem juntos, não levem trabalho para o avião ou para o carro. Dediquem o tempo para conversarem entre si.
  14. Desliguem seus smartphones de vez em quando e se conectem entre si.
  15. Passem uma noite num motel.

Em suma:

Se não abrirem espaço nas suas respectivas agendas, não terão nunca tempo para relacionar-se.

Do que precisam:

  • Compromisso
  • Um calendário

Contem comigo,

Pablo