Archive for the ‘Gerenciando funcionários difíceis’ Category

h1

Já pensou em transformar o café numa ferramenta gerencial?

Outubro 14, 2016

cafeUma das melhores ferramentas gerenciais existente no seu leque de opções pode ser uma simpática  xícara de café. É isso aí. A simples iniciativa de convidar alguém para um cafezinho lhe dá a oportunidade de sentar com esta pessoa, ouví-la e aprender. Entre outras coisas, este tipo de bate-papo pode ser uma motivação poderosa para o seu funcionário. Ela também pode prevenir situações de conflito e agressividade. No final das contas, compartilhar um simples momento num café lhe dá uma chance única de acessar importantes informações sobre você mesmo, seu funcionário, sua empresa e até sobre seus concorrentes.

Tomando Um Café com seus Funcionários

Você tem reuniões regulares com cada um dos seus funcionários-chave (seus subordinados diretos)? Essas reuniões semanais são interrompidas frequentemente porque ambos são super ocupados e alguém sempre tem um “incêndio” que precisa de um dos dois para apagá-lo? Você já sentiu que poderia fazer mais se contasse apenas com uma meia hora sem interrupções? Saia já de sua sala e leve a outra pessoa para tomar um cafezinho fora!

Numa empresa em que trabalhei havia uma cafeteria na loja de material de construção ao lado e outra num hipermercado em frente. Outra opção era o shopping próximo. Um gerente que conheci, entretanto, gostava mesmo era de se esgueirar no refeitorio da própria empresa. Ele “comprava” um café para a pessoa com a qual se encontrava, sentavam-se numa das mesas disponíveis e conversavam. Sem telefones, sem celulares e sem WhatsApp.

Café Nem Sempre É Café

“Tomar um café juntos” não envolve necessariamente café. Se você, ou a pessoa com a qual você está se encontrando, não curte um cafezinho, ou apenas quer dar um tempo à tanta cafeína, existe um monte de opções. Chá e chocolate são um par de outras alternativas que me vem à mente (inclusive, em vários países, o chá pode ser a alternativa preferida). Entretanto, a questão não tem que parar por aí. O ponto principal é se afastar das distrações por um curto período de tempo, portanto a bebida em si não é crucial. Uma água com gás pode se encaixar. Hidrotônicos, sucos de frutas e refrigerantes são todos bem-vindos. Tenha em conta que precisa ser algo relativamente barato, que possa ser servido rapidamente e com o qual você possa se demorar enquanto conversa.

Ouça. Realmente Ouça.

Lembre-se que a razão pela qual você está tendo este bate-papo na cafeteria – ao invés da sua sala – é para aprender algo com a outra pessoa. Pode ser que você queira que ela repasse todo o relatório problemático sem interrupções. Pode ser que você queira ouvir idéias dele ou dela sobre o novo produto ou sobre como corrigir o antigo. E por aí vai… Mas não se esqueça que, tão importante quanto checar a temperatura do café, é checar a da pessoas que está com você, descobrindo se está estressada e o porquê. O principal ponto nisso tudo é que você precisa manter a boca fechada e os ouvidos bem abertos.

É claro que ouvir é muito mais do que apenas deixar a outra pessoa falar. Você tem que focar sua inteira atenção naquilo que o outro está dizendo. Lembre-se que você saiu da empresa para se afastar das distrações que lá existem, portanto não se distraia aqui permitindo sua mente perambular a esmo. Escutar ativamente significa ocasionalmente também repetir de volta uma afirmação dela para mostrar que você está ouvindo e para encorajá-la a continuar falando. Os japoneses tem até mesmo uma palavra para isso: aizuchi.

Em Suma

  • Um intervalo para um café lhe dá chance de se afastar de distrações e interrupções.
  • Café, chá, refrigerante ou água: a bebida não importa.
  • Pegue uma bebida que seja barata e rápida, mas com a qual você possa se demorar.
  • Desconecte-se da caixa postal, do WhatsApp e do Facebook ou, ao menos, ignore-os.
  • Escute ativamente a outra pessoa. Este é o objetivo desta rápida escapada.

pabloE à propósito, quer tomar um café e saber sobre os benefícios do Coaching Executivo para a sua carreira ou para o seu time na organização em que trabalha?

Conte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Virei chefe do meu amigo e ele não gostou da ideia. O que fazer?

Março 20, 2013
h1

O gestor e o drama provocado pelo funcionário difícil

Fevereiro 28, 2012

Todos nós teremos de lidar com funcionários  difíceis durante nossa carreira. E você pode até levantar as mãos para o céu e  perguntar: “Ai, meu Deus, por quê? POR QUÊ??!!” Bom, primeiro, porque  inevitavelmente essa categoria de funcionário sempre existirá. Segundo, porque,  afinal, é seu trabalho como gerente lidar com os mais diferentes tipos de  bombas-relógios. E pode ter certeza de uma coisa: se não lidar com o problema,  isso só vai piorar a situação. Vai por mim.

Aí, você pode perguntar: “Mas por que funcionários difíceis são assim?”.

Diria que simplesmente porque esse é um comportamento que, para eles, têm  funcionado ao longo do tempo. Talvez não conheçam outra forma de agir, ou talvez  escolham essa forma de proceder porque consideram que será a mais efetiva. Mas  posso lhe garantir que você só terá êxito ao lidar com um funcionário difícil na  medida em que fizer com que esses comportamentos indesejáveis não sejam mais  efetivos para ele. Veja, de certa forma, é como lidar com crianças. Se, cada vez  que uma criança gritar, seus pais lhe derem um chocolate, o que a criança vai  fazer quando quiser um chocolate? Vai gritar, claro! O mesmo acontece com o  funcionário que explode quando alguém discorda dele. Quando faz isso, as pessoas  param de discordar dele, e aí ele pensa que venceu…

Na sequência, você questiona: “E como um gerente lida com funcionários  difíceis?”

Posso compartilhar um passo a passo que fui  aprimorando ao longo da minha carreira, com base em tentativa e erro, nos mais  diversos feedbacks e conselhos que recebi, tanto de colegas quanto de chefes e  mentores que tive, e numa série de livros e artigos que li. Pode não ser uma  fórmula que se encaixe no modo como você enxerga as coisas, mas certamente será  útil para refletir sobre o tema:

– Faça um diagnóstico

É importante, ao lidar com funcionários difíceis, agir com rapidez. Quase  sempre você terá de agir de imediato para neutralizar uma situação perigosa.  Entretanto, não se deixe levar pelas emoções, mas, sim, pense  antes de agir. Em outras palavras, se um funcionário vem trabalhar com uma arma,  você vai precisar agir com maior rapidez que quando alguém reclama de que outro  funcionário sempre assume o crédito pelo trabalho dele. Em cada caso, dedique o  devido tempo para avaliar a situação antes de agir. Você não vai querer piorar  as coisas, certo?

Faz parte do processo reconhecer que a maior parte dos funcionários pode ser “difícil” de tempos em tempos. Isso pode ser causado pelo excesso de estresse no  trabalho ou fora dele. Alguns funcionários são difíceis com mais frequência que  outros. E tenha em mente que nem sempre seus funcionários menos produtivos são  aqueles mais difíceis. Portanto, invista um tempo para avaliar cada situação  pela singularidade do momento em que ocorre.

– Assegure-se de um dever de casa bem feito

Sempre aja sobre fatos. Não baseie suas ações em fofocas ou rumores. A pessoa  que espalha uma fofoca já é, por si só, um caso de funcionário difícil. Se você  não viu o comportamento inadequado com os próprios olhos, investigue  cuidadosamente. Pergunte às pessoas que estão deveras envolvidas. Colete todos  os fatos que puder antes de agir. E não utilize o fato de não ter visto o  comportamento inadequado como uma desculpa para postergar uma ação sobre a  questão. É importante agir prontamente.

Ah, e antes que eu me esqueça, assegure-se também de que você não faz parte  do problema. Vai ser muito mais complicado permanecer calmo e imparcial ao  confrontar o comportamento difícil, se você for parcialmente responsável. Se for  esse o caso, certifique-se de estar consciente de seu papel na questão, ao menos  para si mesmo.

– Elabore um plano

Você é um gerente. Sabe o valor do planejamento, e essa situação não é  diferente. É necessário planejar o momento do confronto. Você precisa escolher  um local quieto e privado, onde não será interrompido. É necessário decidir se  deseja ter outras pessoas presentes à reunião, alguém do RH, por exemplo. E aí,  quando estiver preparado, é hora de agir. Como disse anteriormente, não é  preciso agir impulsivamente, mas é fundamental agir com rapidez. Quanto mais  tempo um comportamento inadequado for permitido, mais difícil será modificá-lo  ou coibi-lo.

– Confronte o problema

Não deixe para mais tarde. Pode não ser agradável, mas é uma parte importante  do seu trabalho. Tenha certeza de uma coisa: a questão não vai se resolver  sozinha (como muitos acreditam) e só tende a piorar. Você já planejou esse  confronto, agora é hora de executá-lo.

– Lide com o comportamento, não com o indivíduo

Sua meta é construir uma solução, e não “vencer”. Foque no comportamento  inadequado. Não ataque o indivíduo. Afirme seu desejo coletivo. Use “eu  preciso de todos do time para alcançar nossas metas”, em vez de acusações  personalizadas, como “você está sempre atrasado”.

Não assuma que o comportamento inadequado é causado por uma intenção  negativa. Ela pode ser originada por medo, confusão, falta de motivação,  problemas pessoais etc. Inclusive dê ao funcionário uma chance de criar uma  solução para o problema. Ele tende a se apropriar mais da solução se for  responsável pela sua elaboração, mesmo que de forma parcial.

– Tente deduzir a motivação por detrás do comportamento

Na medida em que conversa com o funcionário difícil, ouça  atentamente o que ele diz. Permaneça calmo e também positivo, mas mantenha-se  imparcial e evite julgar. Faça perguntas que não possam ser respondidas  monossilabicamente. E, por favor, não interrompa.

Quando responder ao funcionário difícil, permaneça calmo. Resuma novamente o  que ele acabou de falar: “então o que eu entendi do que você disse é que…”, de  forma que ele saiba que você está efetivamente escutando. Se puder determinar  qual é a verdadeira causa desse comportamento inadequado, você terá uma chance  bem maior de encontrar uma solução. Algumas vezes, esses confrontos vão evoluir  tranquilamente para um final feliz, ou pelo menos de forma rápida. Outras vezes,  vão ser necessárias várias reuniões até o problema ser resolvido.

– Repita enquanto for necessário

Problemas menores, tais como chegar tarde, você vai poder resolver num  simples bate-papo com o funcionário na sua sala. Um problema de bullying no departamento – para quem tem utilizado esse comportamento  com êxito desde o pré-escolar – pode necessitar de mais de um confronto antes de  uma solução ser encontrada. Seja paciente. Não espere sempre resultados num  estalar de dedos. Almeje o aprimoramento contínuo em vez de tentar obter um  êxito instantâneo.

– Saiba quando o caso está além de sua “jurisdição”

Algumas vezes, a questão subliminar com um funcionário difícil vai estar além  da sua capacidade. O funcionário pode ter problemas psicológicos que demandem  ajuda profissional, por exemplo. Perceba quando vale continuar tentando e quando  é necessário encaminhar o funcionário para uma ajuda especializada. Muitas  vezes, um processo de coaching pode elevar o nível de consciência do funcionário  difícil e o compromisso dele de neutralizar comportamentos pouco efetivos e  alavancar outros mais eficazes.

– Saiba quando você chegou ao fim da estrada

Apesar de a meta ser sempre alcançar uma solução mutuamente aceitável, que  resolva o comportamento inadequado do funcionário difícil e mantenha o seu time  no modo de alta performance, nem sempre isso é possível. Quando você alcança um  impasse e o funcionário não está disposto a mudar seu comportamento, aí você  precisa iniciar os procedimentos de desligamento de acordo com a política de sua  empresa.

Em suma

O resultado desejado, ao confrontar o comportamento inadequado de um  funcionário difícil, é um acordo em prol de uma solução. Você sabe que esse  comportamento vai continuar, a não ser que você e o funcionário concordem com  uma solução. Ele precisa saber o que é inadequado sobre o comportamento dele, e  também precisa saber o que é um comportamento adequado. A necessidade de o  gerente se comunicar claramente ao longo desse processo é sempre alta.  Assegure-se firmemente de que os funcionários entendam os pré-requisitos e as  consequências dos seus atos. Sempre.

Para essas e outras abordagens complexas no dia a dia corporativo, conte  comigo.

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Lidando Com Funcionários Difíceis

Dezembro 29, 2009
Todos os gerentes terão que lidar com funcionários difíceis durante as suas carreiras. Por quê? Primeiro, porque sempre existirão funcionários difíceis. Segundo, porque é seu trabalho como gerente lidar com eles. E pode ter certeza de uma coisa: se você não lidar com o problema, isso só vai piorar a situação.

Por Que Funcionários Díficeis São Assim?

Eles são assim simplesmente porque este é um comportamento que têm funcionado para eles ao longo do tempo. Talvez eles  não conheçam outra forma de se comportar ou talvez eles escolham este comportamento achando que será o mais efetivo. Você terá êxito lidando com um funcionário difícil somente na medida em que você fizer com que esses comportamentos indesejáveis não sejam mais efetivos para eles. De certa forma, é como lidar com crianças. Se cada vez que uma criança grita, seus pais lhe dão um chocolate, o que a criança vai fazer quando quiser um chocolate? Ela vai gritar, claro. O mesmo acontece com o funcionário que explode sempre e quando alguém discorda dele. Quando faz isso, as pessoas param de discordar dele e aí ele pensa que venceu.

Como Um Gerente Lida Com Funcionários Difíceis

  • Avalie
    É importante ao lidar com funcionários difíceis agir com rapidez. Quase sempre você vai precisar agir praticamente de imediato para neutralizar uma situação perigosa. Entretanto, não deixe de pensar antes de agir. Em outras palavras, se um funcionário vem trabalhar com uma arma, você vai precisar agir com maior rapidez do que se alguém reclama que um outro funcionário está sempre assumindo o crédito pelo trabalho dele. Em cada caso, leve o devido tempo para avaliar a situação antes de agir. Você não vai querer piorar as coisas, certo?
  • Reconheça que a maior parte dos funcionários pode ser “difícil” de tempos em tempos. Isso pode ser causado pelo stress no trabalho ou fora dele. Alguns funcionários são difíceis com mais frequência que outros. E nem sempre seus funcionários menos produtivos são aqueles difíceis. Portanto, dedique um tempo para avaliar cada situação pela singularidade do momento.
  • Faça o seu dever de casa
    Sempre aja sobre fatos. Não baseie suas ações em fofocas ou rumores. A pessoa que espalha uma fofoca já é, por si só, um caso de funcionário difícil. Se você não viu o comportamento inadequado com os próprios olhos, investigue minuciosamente. Pergunte às pessoas que estão deveras evolvidas. Colete todos os fatos que puder antes de agir.
  • Não utilize o fato de não ter visto o comportamento inadequado como uma desculpa para postergar uma ação sobre a questão. É importante agir prontamente.
  • Se assegure que você não faz parte do problema. Vai ser muito mais complicado permancer calmo e imparcial ao confrontar o comportamento difícil se você for parcialmente responsável. Se esse é o caso, se assegure que você está consciente de seu papel na questão (ao menos para você mesmo).
  • Desenvolva um plano
    Você é um gerente. Você sabe bem o valor do planejamento e esta situação não é diferente. Você precisa planejar o momento do confronto. Você precisa escolher um local quieto e privado (onde não será interrompido). Você precisa decidir se precisa ter outras pessoas presentes na reunião (um representante do RH, por exemplo).  E aí, quando você estiver preparado, é hora de agir. Como disse anteriormente, não é preciso agir impulsivamente, mas é necessário agir com rapidez. Quanto mais for permitido continuar a um comportamento inadequado, mais difícil será modificá-lo ou coibi-lo.
  • Confronte o problema
    Não deixe para mais tarde. Pode não ser agradável, mas é uma parte importante do seu trabalho. Tenha certeza de uma coisa: isso não vai se resolver sozinho e só tende a piorar. Você já planejou este confronto, agora é hora de executá-lo.
  • Lide com o comportamento, não com o indivíduo
    Sua meta é construir uma solução, não “vencer”. Foque no comportamento inadequado. Não ataque o indivíduo.
  • Afirme seu desejo coletivo: “Eu preciso de todo mundo no time na hora de forma a alcançar nossas metas” ao invés de acusações personalizadas: “Você está sempre atrasado”.
  • Não assuma que o comportamento inadequado é causado por uma intenção negativa. Ela pode ser originada por medo, confusão, falta de motivação, problemas pessoais, etc.
  • Dê à outra pessoa uma chance de criar uma solução para o problema. Ela tende a se apropriar mais da solução se for, ao menos, parcialmente responsável pela sua criação.
  • Tente deduzir as razões por detrás do comportamento
    Na medida em que você conversa com o funcionário difícil, ouça atentamente o que ele diz. Permaneça calmo e também positivo, mas mantenha-se imparcial e evite julgar. Faça perguntas que não possam ser respondidas em uma ou duas palavras. Importante: não interrompa.
  • Quando você responder ao funcionário difícil, permaneça calmo. Resuma novamente o que eles acabaram de falar: “então o que eu entendi do que você disse é…”, de forma a que ele saiba que você está efetivamente escutando.
  • Se você puder determinar qual é a verdadeira causa do comportamento inadequado do funcionário difícil, você terá uma chance bem maior de encontrar uma solução. Algumas vezes estes confrontos vão evoluir tranquilamente  à uma conclusão, ou ao menos de forma rápida. Outras vezes vai ser necessário várias reuniões até o problema ser resolvido.
  • Repita enquanto for necessário
    Problemas menores, tais como chegar tarde, você vai poder resolver numa simples bate-papo com o funcionário na sua sala. Um problema de “bully” no departamento – para quem tem utilizado este comportamento com êxito desde o pré-escolar – pode necessitar mais de um confronto antes de uma solução ser encontrada. Seja paciente. Não espere sempre resultados instantâneos. Almeje aprimoramento contínuo ao invés de tentar obter êxito instantâneo.
  • Saiba quando o caso está além de sua “jurisdição”
    Algumas vezes a questão subliminar com um funcionário difícil vai estar além da sua capacidade. O funcionário pode ter problemas psicológicos que demandam ajuda profissional, por exemplo. Perceba quando vale continuar tentando e quando é necessário encaminhar o funcionário para uma ajuda especializada.
  • Saiba quando você chegou ao fim da estrada
    Apesar da meta ser sempre alcançar uma solução mutuamente aceitável, que resolva o comportamento inadequado do funcionário difícil e mantenha o seu time no modo de alta-performance, nem sempre isso é possível. Quando você alcança um impasse e o funcionário não está disposto a mudar seu comportamento, aí você precisa iniciar os procedimentos de desligamento de acordo com a política de sua empresa.

Chegando a uma Solução

O resultado desejado ao confrontar o comportamento inadequado de um funcionário difícil é um acordo em prol de uma solução. Você sabe que este comportamento inadequado vai continuar ao não ser que você e o funcionário concordem numa solução. O funcionário precisa saber o que é inadequado sobre o seu comportamento e também precisa saber o que é um comportamento adequado. A necessidade do gerente de se comunicar claramente é sempre alta. E é especialmente importante nessas situações. Se assegure firmemente que os funcionários entendem os pré-requisitos e as consequências.

h1

Chato(a) de Galocha

Dezembro 29, 2009
Por que é que esta época do ano, com todo este calor, enchentes e engarrafamentos, me faz lembrar dos funcionários que tem atitudes negativas? Talvez por que todos eles tiram um bocado da alegria do dia. Se você tem problemas com funcionários negativos, você pode fazer algo sobre isso. Na realidade, você DEVE fazer algo sobre isso.

O post Lidando com Funcionários Difíceis fala sobre como lidar com sucesso com as atitudes negativas dos funcionários, antes que elas se espalhem. Portanto não perca outro dia deste verão se preocupando com isso. Entre em ação imediatamente para corrigir o problema.