Archive for the ‘Proposito’ Category

h1

2013: Uma Mudança de Carreira Deveria Estar Nos Seus Planos?

Janeiro 10, 2013

direction1Saiu hoje no Valor Econômico “As dores e delícias de trocar de carreira”. Me fez pensar… Na média, podemos esperar mudar de carreira várias vezes ao longo de nossas vidas. Uma das razões para todas essas mudanças profissionais é que as pessoas geralmente não fazem escolhas 100% bem informadas. Enquanto que fazer uma escolha consciente é uma boa maneira de ajudá-lo a se assegurar que  o caminho que escolheu é o correto, por outro lado pode ter certeza que ela sozinha não vai garantir isso. Mesmo que você faça o bê-a-bá vocacional, seguindo todas as etapas prescritas e  escolhendo a carreira certa para você, ela pode não se manter como sua melhor opção eternamente. Seguem aqui, então, alguns motivos que justificam largar a sua carreira atual por uma nova.

Você Deve Considerar uma Mudança de Carreira Se…

  • Sua Vida Mudou: Quando escolheu sua carreira sua vida podia ser diferente do que é hoje em dia. Por exemplo, você podia ser solteiro naquela época e agora tem familia. A agenda maluca ou as frequentes viagens que são típicas de sua carreira podem não se encaixar mais no seu novo estilo de vida. Você deve então procurar por uma ocupação que seja mais “condescendente” com a sua familia.
  • As Perspectivas Profissionais No Seu Campo Pioraram: Os horizontes eram promisores para o seu campo quando entrou nele. Mas, devido a mudanças na tecnologia, na economia ou na indústria em que trabalha, as oportunidades de trabalho já não são mais atrativas. Você deve então procurar por uma ocupação que tenha melhores perspectivas.
  • Você Está Experimentando “Job Burnout”: Houve um tempo em que você adorava ir trabalhar todos os dias. Mas você não mais se sente assim. Não aguenta mais fazer o seu trabalho e mudar de empregador acabou não ajudando em nada. Pode ser então que esteja na hora de encontrar uma carreira que te inspire.
  • Seu Trabalho É Muito Estressante: Algumas funções são inerentemente estressantes. Depois de um tempo, o estress pode acabar sendo uma carga demasiadamente pesada de se carregar. Para preservar sua saúde mental e física, você pode ter que encontrar uma carreira que seja menos estressante.
  • Você Acha O Seu Trabalho Chato: Quando fez sua pesquisa inicial, a ocupação que ao final escolheu tinha um monte de oportunidades de crescimento. Você atuou nesse campo, escalou a hierarquia tão alto quanto podia, e agora sente falta dos desafios que um dia você encarou. Uma mudança de carreira pode lhe oferecer o desafio que tanto anseia.
  • Você Quer Ganhar Mais: Você pode ter se surprendido ao saber que dinheiro não está no topo da lista quando se fala em satisfação no trabalho. Portanto, não se surpreenda se uma carreira que vai lhe proporcionar maiores rendimentos não é exatamente aquela que você vai considerar particularmente gratificante. Esclarecida esta questão, se outros motivos estão levando você a considerar uma mudança de carreira, certamente rendimentos mais altos deve ser algo a ser levado em conta ao escolher uma nova carreira.

Fotos: Marie HippenmeyerCompartilhe sua experiência com os demais respondendo agora nos Comentários abaixo: Como Soube Que Era Hora de Mudar de Carreira?

Conte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Pense bem antes de se alistar passivamente na guerra de talentos

Dezembro 18, 2012

guerra de talentosHá uma verdadeira batalha entre as empresas para contratar talentos. Pelo menos é o que diz Greg Scileppi, presidente das operações internacionais da consultoria Robert Half, em recente entrevista. “O interessante no Brasil é que o índice de desemprego geral – de 8% – não se reflete na área executiva, que exibe um indicador bem menor, algo entre 1% e 2%”, comenta. E, ao ser questionado se o tempo médio que as pessoas passam no mesmo emprego tem diminuído, ele respondeu que, se as pessoas se sentem identificadas com a cultura da empresa e percebem oportunidades de crescimento, elas continuarão mostrando muita estabilidade no emprego, da mesma forma que acontece há décadas.

Portanto, teoricamente, não precisamos temer a possibilidade de perder o emprego, certo? Podemos ficar tranquilos em nosso papel de executivos…

No entanto, um dos problemas mais traiçoeiros e comuns que encaramos nas nossas carreiras não tem nada haver com encontrar emprego, incrementar a remuneração ou galgar a estrutura hierárquica. É o que denominamos de inércia. Diria inclusive que é tão comum que é chega  a ser endêmica.

O problema se configura da seguinte forma: por qualquer que seja o motivo, você acaba seguindo uma determinada trajetória profissional. Talvez seus pais o empurraram para se tornar um engenheiro ou você tenha visto tantas séries de tv sobre o mundo da Justiça que decidiu ser um advogado. Então, um belo dia, você acorda e pasmem: se dá conta que, na real, não tomou nenhuma decisão chave na sua carreira nos últimos 20 ou 30 anos.

Olhando para trás, parece que tudo foi meio que acontecendo: você se viu no primeiro trabalho ganhando um bom dinheiro e animado com a situação. Seguiu galgando os escalões hierárquicos até que um headhunter, ou alguém que conhecia, veio com uma oportunidade de ganhar mais. E assim foram acontecendo as mudanças até chegar onde está.

E não me entenda mal. Isso é ótimo DESDE QUE essa trajetória acidental tenha de alguma forma possibilitado a você alcançar a felicidade e o sucesso como um estelar executivo pertencente à primeira divisão do mundo corporativo (ou coisa parecida).  No entanto, o cenário  mais provável é que essa sua trajetória profissional poderia ter igualmente acontecido com um outro alguém. E os resultados nem foram tão fabulosos assim…

Tudo isso porque não foi exatamente você que tomou as grandes decisões sobre o que queria fazer com a sua vida. Você pulou de oportunidade em oportunidade no piloto automático. Pode ter até parecido que assumiu riscos e correu atrás quando na realidade estava apenas escolhendo o caminho com menos obstáculos (de um leque limitado de opções).

No meu trabalho, tenho interagido com muitas e muitas pessoas que sucumbiram a tal inércia profissional. Algumas se deram conta, geralmente como resultado de uma crise pessoal de algum tipo, e deram um jeito de sair da “arena do coliseu romano” e se reinventarem antes que fosse tarde.  Outras acabaram se encontrando presas numa jornada que perdeu o brilho há  tempo ou vivem num constante estado de negação, preenchido com uma desculpa atrás da outra.

A única maneira que conheço de evitar esse destino é olhar no espelho e perguntar-se: “isso é realmente o que quero fazer da minha vida?”. E aí é necessário ter a coragem para ouvir a resposta e agir. Obviamente isso demanda ser honesto consigo mesmo, independente do quão doloroso possa ser.  E, antes que pergunte, vou adiantar: é assustador sim mudar. Eu mesmo passei por essas águas turbulentas. Mas quer saber? Acordar um dia e perceber que jogou fora a única vida que tem é bem, bem pior.

Fotos: Marie HippenmeyerConte comigo,

Pablo

P.S. – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Consultores ajudam profissionais a mudar foco da carreira

Agosto 19, 2012

Saiu Hoje na Folha de São Paulo: “Consultores ajudam profissionais a mudar foco da carreira”, onde se afirma que a demanda por diversos serviços de suporte à carreira aumentou nos últimos anos. Isto me fez resgatar um post sobre os motivos que levam as pessoas a investirem em Coaching. Veja acima:

www.room4d.com.br - Soluções em Desenvolvimento

Hoje tive uma bela reunião com uma cliente potencial onde tivemos a oportunidade de aprofundarmos um pouco mais os motivos que levam as pessoas a investir em Coaching.

Neste almoço, esclareci que desde o primeiro encontro o processo de Coaching esta focado no que os clientes querem. As pessoas encaram o Coaching porque elas querem que as coisas sejam diferentes. Elas estão procurando mudanças ou tem importantes metas para alcançar. As pessoas encaram o Coaching por inúmeras razões individuais. Elas estão motivadas a alcançar objetivos especificos: escrever um livro, empreender num novo negocio ou ter um corpo mais saudável. Elas encaram o Coaching objetivando ser mais efetivas ou mais satisfeitas com o trabalho. Elas contratam um Coach porque querem criar mais ordem e equilibrio em suas vidas. Algumas vezes elas querem mais da vida – mais paz de espirito, mais simplicidade, mais alegria. E algumas vezes elas querem menos –…

View original post mais 81 palavras

h1

Dica Para Recem Formados e Todos os Demais (Vídeo)

Julho 3, 2012
h1

Lições da vida real para ensinar aos seus filhos

Janeiro 31, 2012

Estava lendo hoje na Revista São Paulo da Folha a matéria “Executivos contam como conciliam trabalho e educação dos filhos”. A duas semanas do Dia dos Pais oito empresários contam como criam seus rebentos. Foi uma excelente reflexão.

Todos nós queremos que nossos filhos tenham uma vida melhor do que aquela que tivemos. Mas hoje em dia essa é uma árdua tarefa. Afinal, você está sobrecarregado, seus filhos estão distraídos com coisas demais e, pelo que observamos e lemos nos jornais, as escolas não estão fazendo um bom trabalho na preparação deles para o mundo corporativo real.

Você sabe que é fundamental envolver-se na educação deles, assegurar-se de que tirem boas notas, e enviá-los para uma universidade decente – se bem que isso tudo já é mais ou menos esperado. Na realidade, o fator mais importante com relação ao êxito que seus filhos terão nas suas carreiras se resume àquilo que aprendem com você desde os primeiros anos.

É claro que uma parcela vem das lições que intencionalmente você passa, mas o grosso vem da observação do que você faz. Seu comportamento pode ter muito mais a ver com o sucesso que seus filhos terão no mundo real do que qualquer outra coisa. Assim, segue abaixo o que você pode fazer para lhes oferecer mais chances de chegar lá por conta própria:

Apoie o que adoram fazer: não os obrigue a fazer o que você quer que eles façam. É um comentário comum dos pais: “Não quero que eles cometam os mesmos erros que eu cometi enquanto amadurecia.” Bem, você não pode consertar seus erros por meio deles. O máximo que vai conseguir com essa atitude é atrapalhar as vidas deles também. O sucesso surge ao fazer o que você adora, aquilo pelo qual tem verdadeira paixão, não sendo forçado ou obrigado a fazer o que quer que seja.

Ensine-os a assumir riscos. Se tiverem êxito, ganharão  autoconfiança, mas se não, vão aprender mais ainda. Deixe-os cometer seus próprios erros e aprender a assumir a responsabilidade pelos resultados de suas ações. Sei que é duro assistir enquanto tentam novas coisas e fracassam, mas, para ser honesto, é vital que se acostumem com tais momentos. Não os mime. Responsabilize-os. E, nesse processo, deixe-os enxergar como você é: humano, genuíno e com falhas.

Ensine-os sobre o valor do dinheiro e a responsabilidade financeira. Se eles o veem lidar com dinheiro como se nascesse em árvores, mais cedo ou mais tarde vão copiar esse comportamento. Por outro lado, ensinar autossuficiência, ou até mesmo a não esperar esmola de ninguém, vai valer a pena ao longo do tempo. Eles precisam saber que o sucesso e a felicidade deles dependem única e exclusivamente deles mesmos.

Deixe-os ser crianças. Habilidades sociais não são apenas importantes para que crianças ajam como crianças. Também são críticas para que os adultos tenham êxito nos mundo dos negócios. Esportes, amigos, relacionamentos, festas, sair sem lenço nem documento é tudo de bom. Tudo bem, certamente haverá acidentes, se meterão em brigas e farão coisas que você desejaria que não fizessem. Mas, se você for aberto e encorajá-los a trazer seus problemas a você, então poderá ajudá-los a se virar e a aprender com os próprios erros.

Trate-os como adultos. Quando as crianças são pequenas, têm egos gigantescos. Crescer é aprender que na verdade o mundo não gira em torno delas. Para que essa transição funcione, elas precisam se sentir seguras e confiantes o suficiente para se arriscar. Você pode colaborar com o processo, oferecendo-lhes informação e encorajando-as a tomar suas próprias decisões. Trate-as na medida do possível como adultos – as pessoas não aprendem lições ouvindo sobre elas, mas vivenciando-as.

Ensine-os sobre competir e o espírito de equipe. Uma das grandes dicotomias na vida é que o sucesso tem muito a ver com competir e ganhar, o que por natureza significa que outros têm de perder. Dito isso, existem momentos em que um indivíduo está competindo e momentos em que o que vale é o esforço do time. Saber a diferença é importante no mundo real, mas, sem dúvida, essa é uma lição sutil.

Encoraje a curiosidade natural deles. Crianças têm uma sede natural de conhecimento e por entender como as coisas funcionam. Encoraje-as a procurar isso nos livros, jogos, quebra-cabeças, onde quer que tenham interesse. Mas atenção: o mundo moderno dos brinquedos e aparelhos eletrônicos de última geração é muito fácil, muito mel na boca, por assim dizer.  Eles vão aprender mais criando e utilizando a imaginação.

Ensine-os a ser autossuficientes. Essa ideia de “direito adquirido”, que está se tornando uma epidemia nacional, acaba limitando o sucesso e exterminando carreiras. O mundo real dos negócios não funciona dessa maneira, e quanto mais cedo as crianças aprenderem isso, melhor. Sim, a vida é muito curta para não se divertir, mas não é por isso que você vai permitir que eles pensem que as coisas caem do céu. A vontade de dar duro e de vencer tem de vir deles, e a única maneira pela qual isso vai acontecer é se aprenderem isso com você.

Minha filha fará 1 ano e meio no mes que vem e estas lições fazem parte do meu coração de pai.

Pablo

P.S. – Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Uma Palavra para Nortear Sua Vida

Janeiro 3, 2012

Tenho um par de amigos que acreditam que uma palavra pode mudar nossa vida. Todos os anos, antes do Ano Novo, eles trazem à tona a palavra deles para o ano seguinte: aquela que vai dar significado e foco para as suas vidas.

Importante: eles dizem que não pegam aleatoriamente uma palavra, mas que ela acaba vindo até eles a partir de uma profunda reflexão e escutando atentamente o coração.

Achei a idéia brilhante.

Vivemos num mundo cheio de estress, sem tempo para nada e com um monte de distrações que nos fazem deixar de lado nossas resoluções e nos esquecer de nossas metas. Mas todos nós podemos nos lembrar e nos focar através de uma única palavra que representa a essência daquilo que esperamos alcançar e/ou daquilo que queremos nos tornar.

Fiquei inspirado para fazer o mesmo.

A palavra que escolhi para 2012 foi FEEDBACK.

Estarei prospectando e executando um monte este ano, com o objetivo de aprimorar executivos, times e culturas organizacionais, e certamente a agenda pode ser exaustiva. Entretanto, ao receber continuamente feedback em relação ao meu propósito de fazer a diferença, sei que isso vai me reenergizar e me manter firme nos trilhos. Afinal das contas, estou ciente que, se meu desejo de fazer cada vez melhor proporcionar resultados mais e mais consistentes, estarei tão empolgado em Junho quanto estou agora em Janeiro. Portanto é isso aí: minha palavra é FEEDBACK.

A palavra da minha esposa é PACIÊNCIA.

Ela percebeu que a nossa filha – que está prestes a fazer 1 aninho – é uma fonte inesgotável de alegria, mas que precisa constantemente revisar o modo de enxergar a variável tempo na educação da Ágata e de como ela afeta suas rotinas diárias.

Fazer este exercício com a Milena foi divertido e muito significativo. Isso é algo que inclusive você pode fazer com o seu time no trabalho e também com a sua familia em casa. Imagine se todo mundo no trabalho soubesse a sua respectiva palavra e as vivenciassem a cada dia de modo a que eles e suas equipes fossem melhores. 

Uma vez que a sua palavra veio à tona você pode exibi-la na sua mesa ou pode ainda transformá-la numa pintura (e por que não?).Todo Ano Novo, cada um desses meus dois amigos e suas familias pintam a sua palavra.

E então, qual a sua palavra para este ano? Estamos na primeira semana de Janeiro e este é o momento ideal trazer uma à tona.

Que palavra lhe daria foco e motivo para fazer de 2012 o seu melhor ano?

Compartilhe sua palavra comigo e com os demais nos comentários abaixo.

Conte comigo em 2012,

Pablo

h1

Dicas P/ Recém Graduados

Junho 5, 2011

Recebi uma mensagem na semana passada comentando que alguns dos meus posts seriam ótimos para disseminá-los entre universitários prestes a se formarem e que estão em busca de seus propósitos e paixões. É claro que meu blog é para pessoas de todas as idades, mas a mensagem me inspirou  a pensar em como o conteúdo do blog poderia beneficiar recem-formados e aí refleti sobre as seguintes questões…

1. Você está aqui por uma razão e a coisa mais importante que pode fazer na vida é encontrar, viver e compartilhar o seu propósito. Essa é a única coisa que realmente importa e se você não o perseguir, todo o resto não tem sentido algum.

2. Siga a sua paixão. É bem provável que assim você chegue ao seu propósito. Faça aquilo que te energiza. Sempre.

3. Talvez não saiba onde sua paixão está exatamente agora. Tudo bem. O importante é fazer com que ela seja a sua missão de vida, ou seja, encontrá-la, vivê-la e compartilhá-la. Para ajudá-lo a encontrar sua paixão, procure trabalhos e experiências que lhe permitam fazer uso de seus dons e talentos. Quem sabe num processo de coaching você não encontra essas  respostas?

4. Tenha cuidados com hobbies. Só porque adora dedicar tempo ao Facebook isso não significa que gostaria de trabalhar nesta empresa. E só porque adora cozinhar isso não significa que gostaria de ser dono de restaurante. Por exemplo, tenho uma amiga que foi proprietária de um bistrô mas ela se deu conta que não gosta do segmento de alimentos. Adora mesmo é a parte do atendimento e do marketing do negócio.

5. Quando abandonar algo, abandone pelas razões certas. Não largue porque é difícil ou porque está experimentando desafios. Largue porque lá no fundo do seu coração você sabe que há algo além daquilo para ser feito. Saia ou porque não está se beneficiando ou porque não está beneficiando a empresa para a qual trabalha. Saia porque está absolutamente certo que não tem significado algum estar onde está.

6. Aprenda algo de todo trabalho e toda experiência. Cada posição, seja boa ou má, o prepara para a função que, no final das contas, você foi talhado para exercer.

7. Decida simplesmente contribuir, qualquer que seja o trabalho que pegar depois de formado . Quando você contribui nas pequenas coisas, suas chances de contribuir nas grandes aumentam consideravelmente.

8. O trabalho dos seus sonhos provavelmente não é aquele sobre o qual você sonhava. Geralmente acabamos em carreiras surpreendentes que não tem nada a ver com nossa formação universitária ou mesmo com nossos sonhos de infância.

9. A busca pelo seu propósito não se dá em linha reta. Ela está cheia de mistérios, sinais, obstáculos, vitórias, becos sem saída, atrasos e desvios. Tenha fé e permaneça otimista na sua busca.

10. Não apresse o futuro. Existe um processo pelo qual as sementes devem passar para se transformar naquilo que se estão destinadas a se transformar, e você deve passar por este mesmo processo para se tornar a pessoa que está destinada a ser e fazer o trabalho que está destinado a fazer. Talvez queira que as coisas aconteçam AGORA, mas o mais provável é que se conseguir o que quer AGORA você não estaria preparado para ela. O processo de busca do propósito o prepara, o fortalece, o deixa em forma e o desenvolve para ter êxito, não na hora em que você quer, mas na hora certa.

Neste processo, conte comigo,

Pablo

h1

Uma Mudança de Carreira Deveria Estar Nos Seus Planos?

Fevereiro 8, 2011
Na média, uma pessoa pode esperar mudar de carreira várias vezes ao longo de sua vida. Uma das razões para todas essas mudanças profissionais é que as pessoas geralmente não fazem escolhas 100% informadas. Enquanto que fazer uma escolha bem informado é uma boa maneira de ajudá-lo a se assegurar que  o caminho que você escolheu é o correto, por outro lado pode ter certeza que ela sozinha não vai garantir isso. Mesmo que você faça o bê-a-bá vocacional seguindo todas as etapas prescritas e  escolhendo a carreira certa para você, ela pode não se manter como sua melhor opção eternamente. Aqui seguem alguns motivos que justificam largar a sua carreira atual por uma nova.

Você Deve Considerar uma Mudança de Carreira Se…

  • Sua Vida Mudou: Quando você escolheu sua carreira sua vida podia ser diferente do que é hoje em dia. Por exemplo, você podia ser solteiro naquela época e agora tem familia. A agenda maluca ou as frequentes viagens que são típicas de sua carreira podem não se encaixar mais no seu novo estilo de vida. Você deve então procurar por uma ocupação que seja mais “condescendente” com a sua familia. 
  • As Perspectivas Profissionais No Seu Campo Pioraram: Os horizontes eram promisores para o seu campo quando entrou nele. Mas, devido a mudanças na tecnologia, na economia ou na indústria em que trabalha, as oportunidades de trabalho já não são mais atrativas. Você deve então procurar por uma ocupação que tenha melhores perspectivas. 
  • Você Está Experimentando “Job Burnout”: Houve um tempo em que você adorava ir trabalhar todos os dias. Mas você não mais se sente assim. Não aguenta mais fazer o seu trabalho e mudar de empregador não ajudou em nada. Pode ser que esteja na hora de encontrar uma carreira que te inspire. 
  • Seu Trabalho É Muito Estressante: Algumas funções são inerentemente estressantes. Depois de um tempo, o estress pode acabar sendo uma carga demasiadamente pesada de se carregar. Para preservar sua saúde mental e física, você pode ter que encontrar uma carreira que seja menos estressante. 
  • Você Acha O Seu Trabalho Chato: Quando fez sua pesquisa inicial, a ocupação que ao final escolheu tinha um monte de oportunidades de crescimento. Você atuou nesse campo, escalou a hierarquia tão alto quanto podia, e agora sente falta dos desafios que um dia você encarou. Uma mudança de carreira pode lhe oferecer o desafio que tanto anseia. 
  • Você Quer Ganhar Mais: Você pode ter se surprendido ao saber que dinheiro não está no topo da lista quando se fala em satisfação no trabalho. Portanto, não se surpreenda se uma carreira que vai lhe proporcionar maiores rendimentos não é exatamente aquela que você vai considerar particularmente gratificante. Esclarecida esta questão, se outros motivos estão levando você a considerar uma mudança de carreira, certamente rendimentos mais altos deve ser algo a ser levado em conta ao escolher uma nova carreira.

Agora Responda Nos Comentários Abaixo: Eu Sabia Que Era Hora de Mudar de Carreira Quando…
h1

Você é um Tubarão ou um Peixinho-Dourado?

Setembro 9, 2009

j0433157Se você está preocupado com o futuro e ansioso sobre sua situação, sei como você se sente. Eu perdi meu emprego no inicio de  2008 durante uma transição de CEOs na empresa. O novo presidente queria colocar sua digital na estrutura organizacional. Achei que seria um dos momentos mais duros da minha vida.

A coisa soava mal. Eu me sentia mal. Visto de um ângulo, eu supunha que a situação era preta. Mas logo no inicio decidi que não deixaria que aquele desafio me desestruturasse. E é nesse momento que eu soube que tinha que mudar a forma de pensar e agir.


Viajei para lugares distantes e li alguns livros que me ajudaram a tomar decisões importantes ao longo do processo de transformação. Eventualmente estas decisões me levariam ao trabalho que realizo agora como Coach Executivo. Muitas vezes brinco que, ao me expulsarem do “paraíso” corporativo, encontrei a verdadeira liberdade. A saída me levou descobrir meu verdadeiro propósito e missão. O que pensei ser o pior acontecimento da minha vida provou ser o melhor caminho. Me dei conta que lidar com intensas transformações  se  trata de como percebemos e respondemos às mudanças que encaramos.

Mudanças vem de todas as formas. Num novo modelo de negócios no trabalho, numa atribuição diferente, num emprego perdido, num novo emprego, numa nova liderança, em novas políticas, em novas regras para um cenário econômico difícil, em novos regulamentos governamentais, em demissões, numa adversidade pessoal, em desafios profissionais. Mudança é inevitável e, mesmo não podendo controlar os eventos que acontecem em nossas vidas, podemos sim controlar como respondemos aos mesmos.

Quando intensas transformações batem à nossa porta, temos uma escolha. Nós podemos permitir que elas desmoronem sobre nós ou podemos abraçá-las, aprender a partir delas e encaminhá-las para um futuro positivo. Podemos seguir em frente com determinação e fé de que nossos melhores dias estão por vir, não que já passaram.j0309223


E acima de tudo: podemos decidir se somos um tubarão ou um peixinho-dourado. Peixinhos-dourados esperam para ser alimentados. Tubarões vão atrás de comida. Qual deles é você?

Compartilhe seu ponto de vista no meu blog.

h1

Você tem claro o sentido de vida? Apresse-se pois ele aumenta a longevidade…

Junho 19, 2009

42-15717839“Ter um propósito na vida pode fazer toda a diferença na longevidade. É o que mostra uma pesquisa feita pela Rush University Medical Center, nos Estados Unidos.
Durante cinco anos, os cientistas avaliaram mais de 1.200 voluntários idosos. Nenhum deles era portador de demência. Para os autores, ter um propósito de vida estava associado às capacidades de encontrar um sentido para as experiências vividas e de ser focado nos objetivos.
Os resultados mostraram que os idosos com grande capacidade de dar um sentido à própria existência tiveram metade do risco de morrer durante o período estudado.
Para os pesquisadores, isso reforça o elo entre aspectos positivos da personalidade e o envelhecimento saudável.
Por outro lado, os estudiosos observaram maior índice de mortalidade entre os que mais concordavam com afirmativas como “Eu costumava estabelecer objetivos, mas agora vejo que foi perda de tempo” ou “Minhas atividades diárias me parecem triviais e sem importância”.”