Archive for the ‘Vida’ Category

h1

Assumir o papel de pai / mãe do seu par não é legal. Simples assim.

Janeiro 6, 2013

nagging-wife-screamingNão faz diferença alguma se seu cônjuge não acorda na hora, tem um péssimo gosto para se vestir, se esquece dos compromissos, perde as chaves do carro, ou inclusive nunca recolhe nada do chão. Se você assume o papel de pai ou mãe do seu cônjuge no fundo está demonstrando uma total falta de aceitação e de respeito em relação a quem seu cônjuge é:

  • Se você tem um marido irresponsável ou imaturo, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesma: eu sou a esposa dele, não a mãe dele.
  • Se você tem uma esposa imatura ou irresponsável, pode ser que seja necessário dizer frequentemente para si mesmo: eu sou o marido dela, não o pai dela.

Colocando-se no papel de pai ou de mãe e o seu cônjuge, no de uma criança, é humilhante para seu par e – cá entre nós – contraproducente. Seu cônjuge acabará se ressentindo por você assumir esse papel controlador e isso vai danificar consideravelmente sua relação matrimonial. Portanto, fique atento com as iniciativas descritas a seguir.

Comportamentos de quem quer bancar o pai ou mãe do seu par

  • Escolhe que roupas acha que seu cônjuge deve vestir.
  • Sua forma de conversar com seu par é do mesmo tipo que se usa com bebês ou ainda abusa de um tom de voz maternal/paternal.
  • Não acha nada demais servir comida no prato de seu cônjuge, cortar a carne para ele(a), ou ainda amolá-lo(a) para que coma todos os vegetais do prato.
  • Acorda seu cônjuge de manhã.
  • Quando viajam, arruma a mala do seu cônjuge.
  • Define o penteado do seu par.
  • É o “lembrador oficial” do casal – seja para tomar os medicamentos, terminar uma tarefa ou estar na hora combinada onde quer que seja.
  • Acredita que uma de suas funções é corrigir o comportamento de seu cônjuge.
  • Frequentemente atende toda e qualquer necessidade dele(a).
  • É superprotetor(a).
  • Marca os médicos para seu par.
  • Compra as roupas para seu cônjuge.
  • Preenche os formulários médicos ou legais para seu par.
  • Recolhe pela casa as coisas do seu cônjuge.
  • Monitora as coisas do seu cônjuge tais como óculos de sol, chaves do carro, carteira, etc.

Como parar de bancar o pai/a mãe do seu cônjuge

A primeira coisa que precisa fazer é se dar conta que demonstrar preocupação e carinho pelo seu cônjuge é normal (e inclusive esperado). O problema surge quando você cruza a fronteira em direção ao papel de pai/mãe pois aí o afeto normal pára e a relação envereda por um caminho duvidoso. Seguem algumas dicas:

  • Tenha uma conversa franca com seu cônjuge.
  • Pare de tratar seu par como uma criança.
  • Não corrija ou critique como seu cônjuge organiza o guarda roupa ou conclui outras tarefas domésticas.
  • Permita que seu cônjuge cometa erros e lide com as consequências de se esquecer ou tomar uma decisão errada.
  • Crie um calendário familiar que inclua tarefas a serem cumpridas, mas esclareça que mantê-lo atualizado é responsabilidade de todos.
  • Evite falar num tom paternal / maternal.
  • Aceite que seu par realmente não gosta de ser tratado como uma criança.

Conte comigo,

Pablo

h1

As 10 Melhores Resoluções para um Ano Novo + Positivo

Janeiro 3, 2013

2013As resoluções de Ano Novo predominam nas listas de prioridades a cada início do ano. O novo ano é um recomeço, portanto novas metas, novos planos, novos sonhos e novas direções alimentam nosso imaginário.

Por isso recomendo: não deixe de colocar por escrito suas resoluções para o Ano Novo. Você terá a oportunidade de reabastecer, revitalizar e renovar o seu espírito, aproveitando todas as possibilidades que se descortinam em 2013.

E se me permitir dar uma dica adicional, anote: se puder, dedique-se mais a si mesmo este ano. Isso não tem preço…

Mas vamos ao ponto principal deste post. Abaixo seguem 10 resoluções para aquelas pessoas que trabalham no mundo corporativo. Espero que elas o ajudem a fazer deste ano um ano fora-se-série!

Prometa que vai:

Fazer todo santo dia algo que realmente gosta muito (e que você faz como ninguém). No livro Primeiro Quebre Todas as Regras!, Marcus Buckingham e Curt Coffman da Gallup Organization descobriram essa questão crítica entrevistando 80.000 gerentes. Nestas entrevistas, eles resumiram o questionário focando-se  naquelas 12 questões que definem mais claramente ambientes de trabalho felizes, engajadores e produtivos.  Preste atenção nas 3 primeiras:

  1. Sei o que é esperado de mim no trabalho?
  2. Tenho o material e o equipamento que necessito para fazer o meu trabalho direito?
  3. No trabalho, tenho a oportunidade de fazer o que faço de melhor todo dia?

As pessoas que podiam responder afirmativamente estas perguntas estavam mais propensas a serem felizes e produtivas. Dito isto, só me resta dizer “Apaixone-se pelo seu trabalho! Faça todo dia algo que você faz como ninguém mais!”

Fazer todo santo dia algo só para você . Como gerente ou como profissional, você pode acabar fazendo coisas para os demais praticamente o tempo todo no seu horario de trabalho. Se ainda por cima tem uma familia que ocupa seu horário fora do trabalho, este risco é dobrado. Portanto, resolva dedicar todos os dias um tempo para si, seja ele para se exercitar, relaxar, refletir, fazer um jantar especial, tomar sorvete, escrever um artigo, jardinar, dar uma volta com o seu cachorro ou qualquer outra atividade que lhe dê prazer. Apenas se assegure que a atividade é diferente daquilo que já faz ao longo do dia. No final, pode ter certeza: você vai sentir a vida pulsando em suas veias!

Se dar crédito e tapinhas nas costas quando fizer por merecer. No estudo da Gallup (mencionado anteriormente), esta questão definiu os locais de trabalho mais produtivos. Pessoas que tinham recebido aprovação ou reconhecimento pelo seu trabalho nos últimos 7 dias eram mais felizes e produtivas que as demais.

Nesta era de funcionários mais independentes e controles gerenciais mais flexíveis, as possibilidade de uma interação frequente com o seu chefe é menor. Portanto, é importante um auto-reconhecimento pelos belos esforços realizados. Uma forma de fazer isso é manter um arquivo de notas positivas, cartas de agradecimento e mensagens sobre projetos exitosos. Eu costumava chamar o meu de “Coisas Legais”. Em suma: pare para curtir o seu sucesso a cada projeto ou iniciativa que você finalizar.

Batalhar para aprender algo novo todo santo dia. É fácil ficar preso nas mesmas coisas de sempre. Leia um artigo. Discuta uma nova abordagem com um colega. Pesquise na internet o que outras organizações estão fazendo… As oportunidades para aprender estão se muntiplicando todos os dias na era da informação. Agarre aquelas que mais chamarem a sua atenção.

Fazer contatos profissionais e, é claro,  networking. Procure colegas com os quais você perdeu contato. Se assegure de marcar pelo menos um encontro profissional todos os meses. Você vai se beneficiar das amizades e dos relacionamentos que desenvolver a partir de uma participação ativa. Não é o suficiente apenas se conectar. Você precisa participar para colher as recompensas de uma verdadeira rede colaborativa profissional.

Fotos: Marie HippenmeyerPara um 2013 mais positivo e para estar apto a transformar resoluções em realidade, conte comigo.

Pablo

P.S. 1 –  Quer ver as 5 seguintes?

P.S. 2 – Gostou? Para me seguir no Facebook, acesse https://www.facebook.com/coachingexecutivo

h1

Para refletir às vésperas do ano novo…

Dezembro 23, 2012

RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

h1

Para casados: Dicas para curtir sogras e sogros

Dezembro 22, 2012
inlawsSogros e sogras podem ser uma tremenda fonte de apoio e proximidade. Mas podem também ser um grande problema no seu relacionamento conjugal. Por isso, neste Sábado, vou compartilhar algumas dicas para ajudá-los a lidar com ambos e curtir suas festas de final de ano sem aborrecimentos significativos:

1. RESPEITO

Mesmo que você não considere que sua sogra ou seu sogro o mereça, demonstre respeito por eles assim mesmo.

2. LEALDADE

É natural que seu cônjuge possa sentir lealdade pela familia dele ou dela. E tudo bem, desde que você não fique em segundo lugar.

3. CRÍTICAS

Mesmo que você tenha uma sogra ou um sogro infernal, não os critique. E se seu cônjuge o fizer, apenas ouça. Comentários adicionais podem criar problemas portanto, se necessário, faça apenas perguntas para entender melhor o que está sendo dito.

4. RAÍZES

Dedique tempo para descobrir tanto suas raízes genéticas quanto culturais e compartilhe as mesmas com seu cônjuge.

5. SENTIMENTOS

Identifique e compartilhe seus sentimentos sobre a sua familia de origem com o seu cônjuge.

6. CICATRIZES

Se está tendo dificuldades com seus próprios problemas familiares, é importante que esteja disposto a curar  quaisquer feridas passadas de forma a seguir em frente na sua vida ao lado do seu cônjuge.

7. LIMITES

Defina e estabeleça limites com seu sogro ou sogra quanto a como se sente, pensa e mesmo o que espera em  relação a feriados, férias, visitas, tempo com os netos, questões financeiras e privacidade.

8. DIZENDO BASTA

Saiba quando é hora de dizer chega. Tenha uma senha, em caso de “incêndio”, de modo que seu cônjuge compreenda que é hora de terminar a visita ao seu sogro ou sogra.

9. PRESTANDO CUIDADOS

Na medida que seu sogro ou sogra envelhecem, é importante que discutam com eles questões práticas tais como saúde e finanças. Descubra as expectativas deles em relação aos cuidados que demandarão, caso eles mesmos não possam cuidar disso nos seus últimos anos.

10. PRIORIDADE

Lembre-se de colocar seu casamento em primeiro lugar. Sempre.

Conte comigo,
Pablo
h1

Para casados: Desligue o seu celular

Dezembro 15, 2012

casais-e-celularUma forma de mostrar ao seu cônjuge que você se importa é desligar o celular de vez em quando. Tome a decisão de se desconectar dos demais para abrir a possibilidade de se conectar com o seu cônjuge com mais frequência. Fazendo isso, provavelmente você vai descobrir que vai também reduzir o stress na sua vida, bem como lhe dar a oportunidade de oferecer àqueles que ama sua plena atenção.

“… minha política de ‘Domingos sem celular’ (auto-imposta): sem mensagens, sem emails , sem checar mapas. Meu celular é desligado, ou nem mesmo o carrego comigo… talvez você possa estabelecer este Natal como um feriado sem celular e dar plena atenção à pessoa que está ao seu lado na mesa, seja o seu primo caipira ou sua cunhada esnobe.” Fonte: Turning Your Phone Off as a Technological Gesture of Affection.

Outra forma de equilibrar o tempo que dedica aos demais e o tempo que dedica ao seu par é saber quando as redes sociais estão prejudicando seu casamento. Não há mal algum em “estar fora” quando isso significa “estar dentro” do seu casamento.

Conte comigo,

Pablo

h1

Para casados: Como dedicar tempo ao seu relacionamento

Dezembro 15, 2012
tempojuntosNão permitam que seus trabalhos, ou as crianças, ou a internet, ou os amigos, ou ainda os familiares (de um lado ou do outro), interfiram no seu casamento. Hoje em dia, vários casais chegam à conclusão que o fato de estarem casados não é garantia de que terão automaticamente tempo entre si. Se ambos vivem ocupados, precisam planejar como investir tempo juntos. Não há mágica, por isso compartilho algumas idéias:
  1. Agendem um fim de semana apenas para você dois. Registrem nos seus calendários, ou no outlook, ou onde for necessário, mas não alterem o evento por motivo algum. Inclusive não necessitam ir para um lugar em especial, podem ficar em casa se quiserem.
  2. Almocem juntos uma vez por semana. Se o dia estiver especialmente bonito, encontrem-se num parque.
  3. Deixem seus filhos saberem que vocês dois precisam ficar sozinhos. Digam-lhes que podem bater na porta  do quarto de vocês somente se a questão envolver sangue.
  4. Caminhem juntos pela vizinhança.
  5. Façam juntos as tarefas domésticas, tais como lavar os pratos ou ir ao açougue. Pode não parecer tempo qualitativo, mas com certeza pode se tornar.
  6. Quando no carro, executando tarefas externas, desliguem o rádio ou o cd player e conversem entre si.
  7. Tomem banho juntos.
  8. Dediquem 20 minutos ao dia  ao ato de dialogar.
  9. Se organizem para obter uma noite tranquila sozinhos ao menos uma vez ao mes.
  10. Contratem uma babá para cuidar das crianças durante um par de horas, não importa de você ficarem em casa.
  11. Negociem com outro casal para que cuidem dos seus filhos à noite de modo a que vocês possam curtir uma noite romântica sozinhos… e aí, em contrapartida, num outro dia cuidem dos deles.
  12. Marquem encontros entre vocês. Agendar uma saída juntos à noite ou à tarde duas vezes ao mes é um bom começo.
  13. Quando viajem juntos, não levem trabalho para o avião ou para o carro. Dediquem o tempo para conversarem entre si.
  14. Desliguem seus smartphones de vez em quando e se conectem entre si.
  15. Passem uma noite num motel.

Em suma:

Se não abrirem espaço nas suas respectivas agendas, não terão nunca tempo para relacionar-se.

Do que precisam:

  • Compromisso
  • Um calendário

Contem comigo,

Pablo

h1

Minha carta anual para o Papai Noel

Dezembro 13, 2012

cartaQuerido Papai Noel,

Bem, não foi um ano fácil, mas graças à nossa constante criatividade na busca de soluções, superamos as expectativas. Temos aberto uma série de portas a partir da rede de relacionamentos do LinkedIn, mesmo quando os contatos não têm de imediato nenhum projeto em vista para oferecer. O faturamento tem excedido as despesas, portanto, certamente nosso banco está contente.

Quando olho para trás e vejo o que fomos capazes de realizar neste ano, o que mais me dá orgulho foi que nossos clientes foram capazes de alcançar, seja no aspecto individual, como time, ou mesmo em relação à sua cultura organizacional. Este ano fiz uma pequena revisão na minha “Lista de Desejos”, justamente para refletir tal sentimento. Confira como ficou:

Desejo que mais empresas reconheçam o valor de seus funcionários

Por que tantas empresas não percebem que estariam fora do mercado, se não fosse pelos seus funcionários? Se elas pudessem fazer tudo sozinhas… mas não podem, portanto, necessitam deles. Por que investir todo aquele dinheiro para encontrar e contratar os melhores funcionários, se daí elas começam imediatamente a desencorajá-los a dar o seu melhor?

Por que não demonstrar o quanto são apreciados? Não lhes dê apenas uma festa de Natal ou um bônus de final de ano. Em vez disso, ofereça-lhes desafios o ano inteiro. E dê feedback honesto sobre o quão bem eles estão fazendo esse trabalho. Trate-os como talentos de verdade!

• Seria muito bacana, se os funcionários enxergassem seus empregos mais como uma forma de ajudar as suas empresas e menos como apenas uma fonte de renda

Se os funcionários pudessem enxergar seus empregos através dos olhos da empresa, veriam que o que ela necessita vai além de aparecer no horário combinado. Para a empresa sobreviver e prosperar, ela precisa lucrar. E isso não será possível sem que cada um deles vista de coração a sua camisa.

É necessário que os funcionários enxerguem como podem aumentar as vendas da empresa ou como diminuir os custos. Existe forma melhor ou mais rápida de executar o seu trabalho? Dá para fazer uma etapa de maneira diferente, tornando mais fácil a execução da etapa seguinte pelos demais? Custa muito confiar no chefe e tentar algo novo?

Com certeza, desejo que, tanto as empresas como seus funcionários, compreendam o quanto ambos precisam de seus clientes

Sem clientes, um negócio não tem razão de existir, e obviamente não vai durar muito. As empresas e seus funcionários necessitam transformar a “satisfação do cliente” em mais do que apenas um indicador de desempenho. Todos nós sabemos o quanto mais caro é conquistar um novo cliente do que manter um antigo, mas isso nem sempre se reflete na maneira como nós os tratamos.

Não monitore o tempo de espera do seu cliente ao telefone ante a média da sua indústria, mas, sim, leve em consideração como você se sentiria se fosse você quem estivesse aguardando. Procure formas de facilitar a vida do seu cliente ao comprar, ao obter assistência e ao resolver problemas. Mantenha os clientes felizes, e certamente você poderá contar com eles.

• E, finalmente: Desejo que as empresas invistam em um plano de cultura organizacional, da mesma forma que se  dedicam aos seus planos financeiros, operacionais e de marketing

Trabalhar a cultura organizacional é o melhor remédio para as diversas frustrações que os funcionários têm na sua vida profissional – tomada lenta de decisões, politicagem, pessoas que não mantêm a palavra, idéias que não são valorizadas, burocracia etc. Um plano de cultura vai descobrir as raízes dos males que permeiam sua organização, checando os valores, as crenças e os comportamentos que são norma na empresa. Esse plano vai promover uma liderança que expresse claramente os valores que a organização aspira e funcionários orgulhosos por dar o melhor de si. Um sólido engajamento é o resultado de culturas notáveis. E isso não tem preço.

É isso, Papai Noel, obrigado.

Pablo

P.S. – Não deixe de me seguir no Facebook (https://www.facebook.com/coachingexecutivo)!